Vídeo: entregador é chamado de ‘lixo’ por homem branco em condomínio de Valinhos

“Você tem inveja disso aqui. Moleque, escuta aqui, você tem inveja dessas famílias aqui, você tem inveja disso aqui [aponta para a pele do braço]. Você nunca vai ter! Shhh! Você é semianalfabeto”, afirma o agressor contra um entregador de aplicativo em um condomínio de Valinhos, região metropolitana de Campinas. O caso teria ocorrido no condomínio de luxo Madre Villac, na cidade de Valinhos, interior de São Paulo.

A prática de racismo foi registrada e publicada nas redes sociais em vídeo postado nesta sexta-feira, 7 de agosto. O agressor humilha o entregador Matheus Pires e acredita que o trabalhador teria inveja dele por conta da cor de sua pele. O morador tem certeza de impunidade e diz que não vai acontecer nada com ele.

“Seu lixo, quanto deve ganhar por mês, hein? Dois mil reais? Não deve ter nem onde morar”, afirmou. O entregador tenta responde aos ataques do homem: “Eu tenho onde morar sim. Você conseguiu isso porque você trabalhou ou porque seu pai te deu?”

Até o momento, o agressor não teve o nome divulgado. O racismo é crime inafiançável e imprescritível, como estabelece a constituição. A pena prevista é de um a três anos de reclusão e multa, correspondente à violência.

A mãe do entregador publicou um desabafo em seu Facebook, pedindo para que ele seja exposto. Veja a mensagem:

‘Vamos deixar esse escroto de camiseta azul famoso, pois ele foi racista com um entregador que estava apenas fazendo o seu trabalho, e esse ser xingou e humilhou um trabalhador, se achando melhor que ele por morar em um condomínio de luxo.

Pois saiba ninguém é melhor que ninguém por ser rico ou ser branco e como (ele) é de família rica isso vai acabar no esquecimento, como sempre acontece.

Então por isso resolvi postar o vídeo. Isso é racismo e é crime e esse entregador é meu filho um trabalhador honesto e que não precisa sentir ou ter inveja de um escroto como esse pois ele não é.

Mesmo tendo dinheiro pra comprar tudo o que quiser, jamais comprará a educação o respeito, pois isso vem de berço e o dinheiro não compra jamais’.

Via Carta de Campinas 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *