TJSP reconhece que Luciano Hang não fez fake news ao criticar manifestação comunista em evento da Unicamp  

9ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), reconheceu, por unanimidade, nesta quinta-feira (24), que o empresário e dono da rede de lojas Havan, Luciano Hang, não criou fake news ao criticar o fato de uma cerimônia de formatura de Engenharia da Computação, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), ter sido finalizada com um grito de “viva la revolucion”.

Luciano Hang criticou o acontecimento em suas redes sociais. A Unicamp e o reitor da instituição negaram que o fato havia ocorrido. Porém, testemunhas ouvidas no processo confirmaram a veracidade do episódio.

Com isso, o TJ também afastou o pedido de indenização da Unicamp e do reitor pela crítica lançada na internet, bem como rejeitou a possibilidade de o empresário se retratar. A Corte ainda julgou improcedente o pedido de que Hang não pudesse mais citar a Unicamp ou o reitor em novas menções, causando assim uma censura prévia.

Na decisão, os desembargadores do TJSP ainda teceram críticas à inapropriada menção a radicais movimentos revolucionários da América Latina em cerimônia oficial de uma instituição pública de ensino. O Tribunal apenas puniu o empresário pela utilização da expressão “FDP” no valor de R$ 5 mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *