Surtos de Covid-19 atingem escolas e creches de Blumenau

Surtos de Covid-19 em escolas e creches da rede municipal de ensino de Blumenau vêm preocupando pais e profissionais após duas semanas de aulas. Casos confirmados e suspeitos da doença pipocam em unidades de diferentes bairros e, em pelo menos duas situações, com vários professores infectados num mesmo local de trabalho. A Secretaria Municipal de Promoção da Saúde só divulgará uma nova parcial de casos de coronavírus na educação no fim desta tarde.

> 99 professores testam positivo para Covid-19 em Blumenau

No Centro de Educação Infantil Cilly Jensen, na Itoupava Central, cinco professores tiveram diagnóstico positivo e outros cinco estavam afastados para testagem na manhã desta segunda-feira (22). Na Escola Lore Sitta Ballmann, também na Itoupava Central, pais relatam o afastamento de seis professores.

O diretor da unidade, José Carlos de Oliveira, confirmou casos positivos entre profissionais, mas disse que só a Secretaria de Promoção da Saúde poderia informar os dados exatos. Segundo Oliveira, muitos pais estão ligando para a escola questionando por que não foram avisados sobre a existência de casos de Covid-19.

— Pelo nosso plano de contingência, os pais só serão comunicados quando houver quebra de barreira, que é a convivência sem máscara por mais de 15 minutos. E isso não aconteceu, por isso não comunicamos — explicou.

A prefeitura confirmou o protocolo informado pelo diretor. O município também tem omitido quais unidades de ensino tiveram casos positivos, com a justificativa de que é necessário preservar o sigilo médico dos doentes.

Nenhum aluno da Lore Sitta teve confirmação de Covid-19 até o momento. O problema, a própria escola admite, é que crianças frequentemente não desenvolvem sintomas e transmitem a doença silenciosamente. Nesse cenário, só a testagem das pessoas que tiveram contato com contaminados pode antecipar e prevenir novos surtos.

Segundo o coordenador do Sindicato Único dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Blumenau (Sintraseb), Sérgio Bernardo, a entidade vem recebendo ligações frequentes de servidores com medo. Na semana passada, o município anunciou que testaria todos os alunos das classes com casos positivos — para estudantes maiores de 12 anos. No caso de crianças menores, a medida seria uma quarentena de cinco dias para toda a turma. Segundo Bernardo, as providências anunciadas ainda não foram implementadas:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

— Foi uma reivindicação nossa. Acataram verbalmente, mas na prática não está acontecendo.

> Baladas, festa de aniversário e descumprimento de regras marcam fim de semana em BC.

Testagem em massa

Na prática, o procedimento padrão tem sido apenas afastar os contaminados e limpar os ambientes que frequentavam. A prefeitura informou que o protocolo de testagem começa nesta terça-feira (23). Porém, deve comunicar antes outra mudança na promessa de testagem em massa das turmas escolares com casos positivos. Os exames (ou a quarentena para crianças menores) só serão feitos quando houver a tal “quebra de barreira” descrita pelo Ministério da Saúde — convivência a menos de 1,5 metro ou contato físico com um infectado sem máscara por mais de 15 minutos.

Protocolos à parte, as comunidades escolares estão demandando maior transparência sobre o estado da Covid-19 na educação em Blumenau. Não sem razão.

VIA NSCTOTAL Por Evandro de Assis

JANELÃO
“Tenha fé, vai dar tudo certo.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *