Soldagem dos tubos da recuperação da praia já começou na Praia de Balneário Camboriú

Começou na quarta-feira (31) a soldagem dos tubos que serão utilizados para a obra de recuperação da Praia Central de Balneário Camboriú. Os tubos serão soldados de dois em dois e depois estendidos ao longo da praia pelas máquinas da empresa que executa esta parte do serviço.

Na fase seguinte, esses conjuntos de tubos serão soldados uns aos outros formando uma única tubulação de 1,5 Km que será empurrada para o mar, na altura da Ilha das Cabras. Uma das pontas da tubulação será puxada por um rebocador até depois da Ilha, formando assim o duto principal subaquático que vai trazer a areia nova da draga até a praia. Toda esta operação deve durar cerca de três meses.

Uma vez vencida esta etapa, e feitos todos os preparativos, a draga Gerardus Mecatur, a maior draga em operação na América Latina no momento, chegará à jazida de areia que fica há 15 km da costa e começará o processo de preenchimento da praia. Esta draga tem capacidade de 18 mil metros cúbicos de areia em sua cisterna, mas nesta obra de Balneário Camboriú, cada viagem trará 10 mil metros cúbicos. A redução no volume de areia por viagem se faz necessária pela pouca profundidade da enseada. O tempo entre uma descarga e outra da draga é calculado pelos engenheiros da obra em seis horas.

Na praia, homens e máquinas farão o trabalho de espalhar a areia nova, que, no primeiro momento será escura, mas a medida que vai secando ficará branca. O preenchimento começa quase em frente a altura da Ilha das Cabras e será procedido em direção à Barra Sul. Quando completar esse lado, toda tubulação utilizada na praia será removida e começará o preenchimento do centro da praia em direção ao Pontal Norte. A estimativa de tempo para que o preenchimento que recupera a Praia Central fique pronto depois do início do trabalho da draga é de 90 dias.

“A obra está tendo um bom andamento. É uma obra desejada há décadas em Balneário Camboriú e vem num momento de reestruturação da cidade. Temos que nos preparar para quando vier a retomada da economia. É uma obra de proteção ambiental que vai permitir a criação de espaços privilegiados para os moradores e os visitantes. É uma obra grandiosa, mas que terá um andamento rápido, cerca de seis a sete meses. Vamos precisar da compreensão e do apoio da população porque algum transtorno sempre causa. Mas o resultado, será compensador, principalmente depois da reurbanização, passo seguinte a esta obra”, pontuou o prefeito Fabrício Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *