Sindicato dos Médicos de Santa Catarina emite nota de repúdio contra Prefeitura de Camboriú

Sindicato dos Médicos de Santa Catarina emite nota de repúdio contra processo seletivo da Prefeitura de Camboriú e diz que Saúde não pode ser tratada com “migalhas”

Simesc se pronunciou depois de tomar conhecimento da denúncia de Jane Stefenn sobre o desrespeito aos indicativos de pisos de várias categorias da área da Saúde.

O Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina (Simesc) emitiu, nessa quinta-feira (19), nota de repúdio contra remuneração oferecida aos médicos no processo seletivo 001/2018 da Prefeitura de Camboriú.

Adenúncia da vereadora Jane Stefenn mostrou o desrespeito ao piso de várias categorias profissionais da área da Saúde, entre elas a de doze especialidades médicas que receberão salários de R$ 1.566.58, valor quase 90% mais baixo que o piso nacional da categoria. Em nota, o Simesc afirma que “a saúde precisa ser prioridade e não pode ser tratada com migalhas”.

“Ainda que a prefeitura justifique problemas financeiros para não estabelecer uma remuneração digna e baseada no que indicam as entidades médicas, o Simesc repudia atitudes que buscam remediar com placebo os graves problemas de saúde, iludindo o cidadão de que terá acesso a serviço público de saúde com qualidade”,

afirma trecho da nota.

O Sindicato ainda alerta para os problemas decorrentes da remuneração inadequada como a rotatividade do profissional no serviço público de saúde, fragilizando a relação entre médico e paciente, além da “falta de condições do médico se manter atualizado e com competência técnica de entregar o atendimento que a população merece e necessita”.

A nota foi emitida depois de a direção do Simesc tomar conhecimento das denúncias da vereadora Jane Stefenn sobre o desrespeito aos indicativos de pisos e convenções coletivas das categorias dos médicos, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e farmacêuticos oferecida pela Prefeitura de Camboriú no processo seletivo 001/2018. Em março desse ano, o Conselho Regional de Fonoaudiologia da 3ª Região também havia emitido nota de repúdio contra a remuneração oferecida que é 44% menor que o piso indicado pela categoria.

Defasagens – Segundo o edital do processo seletivo, o salário para a vaga de psicólogo geral é de R$ 1.685,94, 55% menor que o piso indicado de R$ 3.728,05 para a categoria. No caso da vaga para Farmacêutico/bioquímico (Geral) o salário oferecido é de R$ 1.685,94, enquanto o sindicato da categoria indica pisos a partir de R$ 2.275,00, o que mostra uma defasagem de pelo menos 35,9%. No caso dos fisioterapeutas, chega a 62,3% a diferença entre a remuneração oferecida pela prefeitura que é de R$ 1.035,23 e o piso nacional indicado pela Federação da categoria é de R$ R$ 2.750,80. Os Nutricionistas a serem contratados receberão R$ 1.685,94 por 40 horas trabalhadas semanalmente, 40% menos que o indicado pela categoria que é de R$ 2.837,00.

Via Melissa Bergonsi

One Comment on “Sindicato dos Médicos de Santa Catarina emite nota de repúdio contra Prefeitura de Camboriú”

  1. Se querem receber o “piso da Categoria” determinado em convenção coletiva, devem trabalhar na iniciativa privada e não buscar concurso público em que as regras são diferentes dos contratos celetistas, simples assim…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *