Secretário de Estado da Saúde se reúne com prefeitos da AMFRI e avalia a situação da região

O Secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, esteve na sede da AMFRI nesta segunda-feira (1) para reunião com os prefeitos dos municípios que fazem parte da Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí (AMFRI) para avaliar a situação da pandemia da Covid-19 na região e tratar sobre ações de enfrentamento à covid-19 na região.

 

O presidente da AMFRI e prefeito de Porto Belo, Emerson Stein, disse que a reunião foi positiva, considerando a importância dos prefeitos apresentarem as necessidades dos municípios ao secretário de Estado. “O Secretário nos garantiu que vai habilitar os leitos de retaguarda nos Hospitais, após levantamento que será entregue amanhã para a Secretaria de Estado de Saúde, para abrir espaços de novas UTI’s aos Hospitais que atendem alta complexidade. Temos essa garantia de pagamento e os municípios da AMFRI irão cobrar para que seja o mais breve possível”, destacando ainda o compromisso do Governo do Estado para a conclusão e entrada em operação do Complexo Madre Tereza no Hospital Marieta Konder Bornhausen em 90 dias.

 

Além da conclusão e operação do Complexo Madre Tereza, a ampliação da capacidade de atendimento, manutenção e custeio do Hospital Municipal Ruth Cardoso e Centro Municipal de Acolhimento e Tratamento da COVID-19, além de implantação de leitos de enfermaria aos hospitais municipais da região, foram demandas solicitadas de caráter urgente ao Governo do Estado.

 

O secretário André destacou ainda aos gestores que o Governo do Estado está mobilizando todos os esforços para reverter e situação do aumento dos casos de Coronavirus. Enfatizou ainda que a prioridade é aumentar o número de leitos e ainda melhorar processos relacionados ao enfrentamento da pandemia, com diagnóstico precoce qualificado, tratamento imediato dos pacientes, monitoramento e rastreabilidade.

 

“O momento é complicado da pandemia, não só em Santa Catarina, na região, mas como no mundo inteiro. Nós temos uma dificuldade de consciência coletiva, das pessoas entenderem que estamos em uma pandemia. Hoje nós temos vários problemas, dentre eles o entendimento de processo, entendimento de momento, recursos humanos, equipamentos, insumos, mas nós temos a obrigação de achar as soluções”, diz André.

 

Motta Ribeiro finalizou afirmando que a abertura de novos leitos de retaguarda na região vai permitir que os hospitais Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, e o Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú, possam ofertar mais serviços de alta complexidade.

Texto e fotos: Lyandra Machado Batista – Assessoria de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *