Schroeder registrou um caso de febre maculosa nesta semana

Moradora de Santa Catarina é diagnosticada com doença transmitida por picada de carrapato.

O município de Schroeder registrou um caso de febre maculosa nesta semana. A paciente, uma mulher de 40 anos, foi medicada e passa bem. A transmissão da doença é ocasionada pela picada do carrapato estrela.

A mulher apresentou febre alta, dor no corpo, fraqueza e manchas vermelhas na pele. O quadro de saúde dela, no entanto, não evoluiu para o quadro grave da doença.

A febre maculosa ocorre somente por meio da picada do carrapato ou, em casos raros, por pulga que tenha a bactéria que ocasiona a febre maculosa. Dessa forma, não é possível a transmissão de pessoa para pessoa.

Como em Schroeder a presença desses insetos é comum, que o é transmissor da febre maculosa, o aparecimento de pacientes com os sintomas acontece frequentemente. Segundo o município, já houve registros em anos anteriores. A média é de dois casos ao ano.

“A transmissão ocorre pela picada de carrapato infectado. Para que a rickettsia se reative e possa ocorrer a infecção no homem, há necessidade de que o carrapato fique aderido no corpo por algumas horas (de 4h a 6h).

O que é Febre Maculosa?

A febre maculosa é uma doença infecciosa, febril aguda e de gravidade variável. Ela pode variar desde as formas clínicas leves e atípicas até formas graves, com elevada taxa de letalidade. A febre maculosa é causada por uma bactéria do gênero Rickettsia, transmitida pela picada do carrapato.

No Brasil duas espécies de riquétsias estão associadas a quadros clínicos da Febre Maculosa:

  • Rickettsia rickettsii, que produz a doença grave registrada no norte do estado do Paraná e nos Estados da Região Sudeste.
  • Rickettsia sp. cepa Mata Atlântica, que tem sido registrada em ambientes de Mata Atlântica, produzindo quadros clínicos menos graves.

No Brasil, os principais vetores e reservatórios são os carrapatos do gênero Amblyomma, tais como A. sculptum (= A. cajennense) conhecido como carrapato estrela ,  A. aureolatum e A. ovale. Entretanto, potencialmente, qualquer espécie de carrapato pode ser reservatório da bactéria causadora da Febre Maculosa, como por exemplo, o carrapato do cachorro.

A Febre Maculosa, se não tratada adequadamente, pode evoluir para quadros graves e levar a pessoa à morte.

IMPORTANTE: De acordo com a Portaria do MS de consolidação Nº 4 de 03 de outubro de 2017 todo caso de febre maculosa é de notificação obrigatória às autoridades locais de saúde. Deve-se realizar a investigação epidemiológica em até 48 horas após a notificação, avaliando a necessidade de adoção de medidas de controle pertinentes.

Quais são os sintomas da Febre Maculosa?

Os principais sintomas da Febre Maculosa são:

  • Febre acima de 39ºC e calafrios, de início súbito.
  • Dor de cabeça intensa.
  • Náuseas e vômitos.
  • Diarreia e dor abdominal.
  • Dor muscular constante.
  • Inchaço e vermelhidão nas palmas das mãos e sola dos pés.
  • Gangrena nos dedos e orelhas.
  • Paralisia dos membros que inicia nas pernas e vai subindo até os pulmões causando paragem respiratória.

Além disso, com a evolução da  Febre Maculosa é comum o aparecimento de manchas vermelhas nos pulsos e tornozelos, que não coçam, mas que podem aumentar em direção às palmas das mãos, braços ou solas dos pés.

Como ocorre a transmissão da Febre Maculosa?

A transmissão da Febre Maculosa, em seres humanos, é basicamente por meio da picada do carrapato infectado pela bactéria causadora da doença. Os carrapatos permanecem infectados durante toda a vida, em geral de 18 a 36 meses.

Ao picar e se alimentar do sangue, o carrapato transmite a bactéria por meio da saliva. Geralmente a pessoa não percebe que foi picada nem sabe aonde aconteceu, porque a picada não causa dor, apesar de ser o suficiente para abrir espaço para a bactéria entrar no organismo.

No Brasil, a maior parte dos casos de Febre Maculosa ocorre na região sudeste e os animais que geralmente são hospedeiros desse tipo de carrapato são a capivara e o cavalo. Ao atravessar a barreira da pele, a bactéria causador da Febre Maculosa chega ao cérebro, pulmões, coração, fígado, baço, pâncreas e tubo digestivo, e por isso é importante saber identificar e tratar essa doença o quanto antes para evitar maiores complicações e até mesmo a morte.

O período de incubação da doença, ou seja, período da infecção até manifestação dos primeiros sintomas, é de 2 a 14 dias, mas varia de acordo com cada pessoa.

Edição Edenilson Pozzobon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *