Prefeitura de Penha libera alvará que autoriza início das obras da Estação de Tratamento de Água

A Prefeitura de Penha liberou, nesta sexta-feira, dia 18, o alvará que permite o início das obras da Estação de Tratamento de Água (ETA) à concessionária Águas de Penha. A construção é uma alternativa para ampliar o fornecimento nos períodos de alto consumo no município. As obras começam imediatamente. A ETA ocupará uma área de 2.370 metros quadrados nas proximidades da rua Honório Bortolatto, no bairro Santa Lídia. O investimento da concessionária para a construção da ETA é de R$ 9 milhões. A concessionária aguarda agora a outorga da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sustentável para captação de água para abastecimento público.

O sistema captará água de uma lagoa e contará com uma adutora de 5 quilômetros que levará água tratada até o reservatório no Mariscal, entregue pela Águas de Penha no final de 2019. De construção metálica, a ETA contará com floculadores mecânicos, decantadores de alta taxa e filtros de areia e antracito (carvão mineral).

Gabriel Buim, diretor executivo da concessionária, explica que todas as etapas da construção já foram contratadas pela concessionária, que só estava aguardando a liberação do alvará para começar as obras. Com a liberação do alvará, as equipes já vão se mobilizar hoje para o início imediato das obras. A estação de tratamento será utilizada somente no verão e vai promover um incremento de 70 litros por segundo de água tratada à cidade, amenizando o risco de desabastecimento.
.
Complementam o complexo de tratamento de água, bombas de retrolavagem dos filtros, sistema de recuperação de água de lavagem dos filtros e sistema de adensamento e desaguamento do lodo dos decantadores através de “bags”. Também fazem parte da estrutura a casa de química, sistema de estocagem e dosagem de produtos químicos (policloreto de alumínio, hipoclorito, cal, polímeros e flúor), reservatório elevado de água potável, sala de operação e laboratório, subestação elétrica e gerador diesel.

*Adutora*

Em construção desde o dia 24 de agosto, a adutora está sendo construída com uma tubulação de 315 milímetros e atingiu os primeiros 1.500 metros de extensão. De acordo com o engenheiro Rudner Sapla, coordenador de engenharia da Águas de Penha, a adutora está sendo construída com tubos de Polietileno de Alta Densidade (PEAD), que apresentam como principais vantagens facilidade de conexão através de solda por termofusão. “A solda realizada pelo método da termofusão acontece no topo ou superfície do próprio produto sem a utilização de conexões e inclui 4 etapas: preparação, aquecimento (fusão), solda e resfriamento.

Segundo o engenheiro, este tipo de conexão diminui riscos de vazamentos em relação aos tubos PVC ou ferro fundido que possuem conexão do tipo “ponta bolsa”. Além disso, a solda apresenta alta resistência ao impacto, corrosão, resistência química e à abrasão, além de ter leveza, flexibilidade e rapidez no assentamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *