Prefeito Élcio Kunhen quer mais R$ 20 milhões emprestado da Caixa Econômica

A situação parece estar bem feia para o lado de Camboriú. O atual Prefeito da cidade Dr º Élcio Rogério Kunhen, MDB, quer mais 20 milhões emprestado da Caixa Econômica para tampar furo de obras supostamente eleitoreiras do FINISA. 

Simples de entender 

– A lógica é simples e fácil de entender. Imagine um chefe de família. Quem pega dinheiro emprestado, geralmente, é por que precisa do dinheiro e não tem. Certo? Aí, uma alternativa é pegar dinheiro emprestado de um banco. Geralmente com taxas de juros bem altas!  Quando isso acontece é porque, o chefe de família não está sabendo administrar o dinheiro que ganha e onde gasta. Levando para vida pública, isso é  exatamente o que acontece numa prefeitura quando administrada má gestores. Lembrando que, todo empréstimo é  pago com o dinheiro do contribuinte! Isto é, com o meu, o seu dinheiro. Sim, com o dinheiro dos impostos, é que o prefeito paga os empréstimos. Portanto, prepare o bolso e entenda que o município a cada empréstimo feito, está se individado mais e comprometendo ainda mais as finanças.

Só no último empréstimo feito pelo prefeito em 2019, já tinha uma dívida superior a R$ 30 milhões para nós Camboriuense pagar e agora com esse se confirmado, teremos mais 20 milhões.

Lembrando que o prefeito Élcio, se enrolou todo com Tribunal de Contas do Estado (TCE), por ter parecer desfavorável e reprovada às contas ano 2019, ( má gestão financeira).

QUER MAIS DINHEIRO

Para ter o dinheiro emprestado, o prefeito via projeto a autorização dos vereadores para pedir empréstimo na Caixa. Então quem vai decidir se o prefeito pode ou não pegar esse dinheiro emprestado e individar mais município são os vereadores.

Está na mão dos vereadores essa decisão, por isso que voto tem consequência.

Esse dinheiro emprestado, pode complicar ainda mais a situação financeira do município. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sem entregar obras do último financiamento, Élcio quer mais R$ 20 milhões de empréstimo 

No texto do projeto diz que pavimentação, recapeamento asfáltico, drenagem e sinalização, são condições indispensáveis de uma economia avançada.

Recapeamento? Drenagem? Sinalização? É sério isso?

Como um empresário vai investir em uma cidade que não tem o mínimo de mobilidade e depende de poucos e limitados acessos para entrar e sair da cidade? Economia se faz com infraestrutura, com mobilidade, com investimentos onde se gera emprego e renda. As principais vias da cidade já estão asfaltadas, as prioridades hoje são outras.

Diante de todas as carências que temos hoje no município de Camboriú, a prefeitura não elenca prioridades na hora de contrair empréstimos. Pavimentar ruas é interessante sim, mas infraestrutura e mobilidade urbana são fundamentais para o crescimento da cidade.

Em 2019, outros dois financiamentos foram contraídos pela administração municipal. Um de 14 e outro de 2 milhões de reais, para obras de pavimentação asfáltica nas vésperas das eleições municipais. Agora, no mesmo período que antecede as eleições federais e estaduais, o prefeito usa da mesma artimanha para fazer política com dinheiro público.

Crédito; Paulo Roberto Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *