Plano de Mobilidade Urbana de Balneário visa metas até 2030

Audiência Pública realizada na noite desta segunda-feira (25), na Câmara de Vereadores, discutiu a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana (PlanMob) de Balneário Camboriú. Além da apresentação do diagnóstico e dos estudos já realizados sobre o trânsito na cidade, a explanação mostrou metas e ações para a cidade até o ano de 2030, em nove eixos: Transporte Público, Pedestre, Bicicleta, Transporte Motorizado Individual, Sistema Viário, Mercadoria, Turismo, Gestão e Polo Gerador de Tráfego.

O PlanMob visa apresentar estratégias e ações de 2018 até 2030 e se estrutura conforme conceitos dispostos na Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei Federal 12.587/12).

Balneário Camboriú conta hoje com 88.771 mil veículos aqui licenciados, sendo 55,26% de carros de passeio, somados aos aproximados 700 mil turistas que o município recebe no verão. O objetivo do PlanMob é estimular o desenvolvimento sustentável de mobilidade urbana, reduzindo a participação dos veículos individuais motorizados e incentivando a integração entre os meios de transporte. Somente 7% dos deslocamentos na cidade, são realizados por transporte coletivo. Nesta proporção se prevê que Balneário Camboriú tenha 60% dos seus meios de deslocamento realizados por carros e motos individuais.

Conforme o levantamento apresentado na audiência, se nada for feito para mudar o atual rumo da mobilidade urbana da cidade, a frota de veículos tende a aumentar e os problemas vão piorar.

Prevê-se, assim, até 2030, que carros e motos passariam a ocupar 60% da matriz modal, reduzindo os meios de transporte não motorizados para 32% e o transporte coletivo para 4%.

A intenção com o Plano de Mobilidade, de acordo com o engenheiro responsável pelo estudo, Emerson Dias Gonçalves, é pensar em médio e longo prazo, se tornando uma política de estado. “Balneário Camboriú tem uma densidade populacional de 10.000 habitantes por km², contra 7.000 km² da cidade de São Paulo, o trabalho demanda tempo e não resolveremos tudo de maneira imediata, mas precisamos começar”, pontuou ele.

Para fomentar o Transporte Público Coletivo, o Plano estuda implantar uma linha troncal responsável por realizar um trajeto entre as quatro avenidas. “Queremos realinhar os corredores de ônibus, dando uma divulgação maior aos horários de transporte e quais bairros eles passam para chegar ao destino”, pontuou Emerson. Para os ciclistas foi proposta a ampliação da rede cicloviária, instalando-se mais paraciclos e bicicletas de aluguel, incentivando o uso de transportes não motorizados. Há também a sugestão de criar o prêmio Empresa Amiga da Bicicleta, que irá contemplar empresas que incentivem e deem espaço para seus trabalhadores utilizarem esse meio de transporte.

Após as apresentações e discussões, foram captados por meio de formulários, sugestões da população presente para estudo e inclusão no Plano de Mobilidade Urbana.

Uma audiência pública de apresentação final para aprovação da população está marcada para o dia 5 de julho, às 19h, na Câmara de Vereadores.

O Plano de Mobilidade está sendo elaborado pela Consultran Engenharia, contratada pelo município por meio de licitação, com a participação da prefeitura por meio do FUMTRAN e da Secretaria de Planejamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *