Peru impede atletas brasileiros de voltarem para casa 

 Equipe de atletas, técnico e fisioterapeuta de Balneário Camboriú, estavam na delegação brasileira que participou do Campeonato Sul-Americano Sub-20 de Atletismo no Peru e ficou retidos no pais Latino Americano. 

Uma delegação de 98 pessoas que foi ao Peru para participar do Campeonato Sul-Americano Sub-20 de Atletismo não conseguiu, no domingo (11), deixar o país e retornar para casa.

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) havia fretado um voo para levar e buscar o time em Lima, mas a aeronave precisou voar de volta ao Brasil e agora os atletas, em grande parte adolescentes, aguardam os trâmites burocráticos para voltarem, o que só aconteceu na manhã de ontem (14).

Familiares de atletas, inclusive chegaram entrar em contato com nosso portal, pois estavam preocupados com a situação.

LIMITAÇÃO DE VOOS 

Por causa da limitação de voos entre o Brasil e o Peru, a CBAt fretou um avião da Azul para viajar até Lima e participar do Sul-Americano Sub-20, assim como já havia feito na competição adulta, no Equador. De acordo com a entidade, atletas e treinadores viajaram com um visto coletivo, que é tirado quando um elenco inteiro vai a país estrangeiro para um evento esportivo do tipo.

 

Mas, no domingo, os brasileiros foram impedidos pelo Peru de voltarem. Segundo Wlamir Motta Campos, presidente da CBAt, os peruanos passaram a exigir um visto individual. “É algo absurdo exigir um visto para retornarmos ao nosso país, pois entramos no Peru sem nenhum problema. Em virtude da pandemia da covid existem restrições e regras específicas peruanas para três países: Brasil, África do Sul e Índia”, afirmou o presidente, que foi ao Peru como chefe de equipe.

Wlamir Motta Campos, presidente da Federação Brasileira de Atletismo, sendo entrevistado pelo repórter Edenilson Pozzobon do Portal O Janelão em 2019, durante o brasileiro copa Brasil de Marcha Atlética realizada em Balneário Camboriú.

Motta Campos, que tem carreira como consultor legislativo em Brasília, trabalhando para vários parlamentares, conta que a questão foi resolvida com a ajuda do Ministério do Turismo, do Itamaraty e do Ministério da Cidadania, onde está hospedada a Secretaria Especial do Esporte. No Peru, a delegação recebeu apoio do embaixador Rubens Baena, que tratou com a chancelaria peruana.

No dia (12), a delegação recebeu uma carta do Ministério de Relações Exteriores do Peru autorizando o retorno. O problema é que o avião, alugado da Azul, precisou voltar ao Brasil, e aí foi necessário encontrar um novo caminho de volta. Um voo, também fretado, trouxe os atletas de volta ontem cedo, via Campinas (SP). De lá os atletas foram enviados para suas cidades.

O grupo ficou hospedado em La Videna, principal sede dos Jogos Pan-Americanos de 2019.

Confira quem fez parte da equipe de Balneário Camboriú o que representou a seleção brasileira.

Treinador: Diogo Gamboa
Fisioterapeuta: Sheyla Alves
Atletas:

Heron Miranda (10000m marcha atlética)
Victor Carpeggiani (1500m)
Maximino Kunen Junior (3000m e 5000m)
Lilian Bittencourt (10000m marcha atlética)

“Chegamos no Brasil ontem às 18h40. Ai parte veio para SC ainda ontem e os demais chegaram hoje.” Disse Diogo Gamboa.

Crédito: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *