Obras em escola municipal de Camboriú causam transtornos a estudantes e professores

Alunos e professores da escola municipal Anita Ganancini reclamam dos fortes cheiros, excesso de poeira e barulho intenso, falta de professores e superlotação das salas.

As irregularidades são tantas, que até tintas abertas nos corredores da escola foram encontrada por vereador que foi até a escola para fiscalizar.

Nessa sexta-feira (27) o vereador Vilson Albino(PV), esteve no colégio Anita Ganancini, localizado na rua Monte Castelito no Monte Alegre. Segundo Vilson a reforma da unidade começou no ano passado e a Secretaria de Educação teve o período de férias todo para concluir a reforma e não concluiu.

“Hoje chego na escola e encontro professora passando mal devido o forte odor das tintas, latas de tintas espalhadas pela escola abertas e com material dentro, uma pintura feita relaxadamente, (dinheiro público jogado fora),  sala superlotadas com até 43 alunos sendo dois com deficiência e ainda para piorar falta de professores.” Destacou o vereador.

Nossa reportagem está aguardando a Secretaria de Educação de Camboriú se manifestar sobre a denúncia.

Que providências serão tomadas para solucionar os problemas?  Alunos e professores e profissionais da escola estão sofrendo por conta do erro do
poder executivo.

Para o vereador, não existe cabimento essa situação.

“Não há condições de aprendizado e os profissionais ficam sobrecarregados. Saí triste da escola com o que vi. Vou levar as demandas a secretaria de educação embora acredito que já estão ciente.”

Espaço aberto para esclarecimentos da Secretaria de Educação.

Credito imagens: Vereador Vilson Albino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *