Obras da primeira Estação de Tratamento de Água de Penha avançam em diferentes frentes de trabalho

 

Os trabalhos da construção da Estação de Tratamento de Água (ETA) Penha estão concentrados em diferentes frentes de trabalho. Uma delas é a concretagem da base para a instalação dos módulos metálicos. A primeira ETA de Penha vai estabelecer um novo parâmetro para o reforço do abastecimento de água no município durante o período de maior consumo, principalmente na temporada de verão.

De acordo com o engenheiro Pedro Escobar Senra, da concessionária Águas de Penha, as frentes de trabalho da ETA incluem ainda a obra dos tanques de contato, construção da adutora de água potável de 315 milímetros com cinco quilômetros de distância e a edificação dos tanques de lodo. A equipe elétrica e de automação também está mobilizada para dar inicio aos trabalhos.

Com a construção da unidade, será possível ampliar a vazão de água em Penha em 70 litros por segundo nos períodos de maior consumo, sem dispensar a água recebida do rio Piçarras. A estação ocupará uma área de 2.370 metros quadrados nas proximidades da rua Honório Bortolatto, no bairro Santa Lídia. Com um investimento de R$ 9 milhões, a ETA Penha é uma alternativa para ampliar o fornecimento nos períodos de alto consumo no município.

De construção metálica, a estação de tratamento contará com floculadores mecânicos, decantadores de alta taxa e filtros de areia e antracito (carvão mineral). Complementam o complexo de tratamento de água, bombas de retrolavagem dos filtros, sistema de recuperação de água de lavagem dos filtros e sistema de adensamento e desaguamento do lodo dos decantadores através de “bags”. Também fazem parte da estrutura a casa de química, sistema de estocagem e dosagem de produtos químicos (policloreto de alumínio, hipoclorito, cal, polímeros e flúor), reservatório elevado de água potável, sala de operação e laboratório, subestação elétrica e gerador diesel.

“Através de informações semanais, desejamos que a população acompanhe a construção em tempo recorde desta Estação de Tratamento de Água, que sequer estava prevista no contrato de concessão, e conheçam o esforço da empresa para amenizar os problemas de abastecimento no período de temporada”, finaliza Reginalva Mureb, presidente da Águas de Penha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *