Obras da Avenida Santa Catarina devem ser concluídas somente em 2019

As obras de qualificação da Av. Santa Catarina, principal acesso a Camboriú, entre a BR-101 e a ponte do rio Camboriú, no centro, devem ser concluídasno inicio de 2019. 

O Secretário de Planejamento Urbano da cidade, Claudinei Loos, nos recebeu no seu gabinete para falar do andamento dessa importante e complexa obra, de grande impacto na melhoria e qualidade de vida da população, com a urbanização e o saneamento, com consequência na valorização dos comércios e residências situadas ao longo da avenida e no seu entorno.

A obra é um projeto fundamental para a mobilidade da cidade, pois se trata do principal eixo de movimento e uma das principais rotas de entrada e saída da cidade e foi dividida em três trechos: da divisa com Balneário até o Portal Turístico; do Portal ao semáforo da Leopoldo Leite; do semáforo à ponte.

O primeiro trecho deveria ter sido concluído em 17 de novembro de 2017, mas alguns imprevistos tornaram um pouco mais morosa a sua execução.

A Avenida Santa Catarina terá duas pistas de entrada, duas pistas de saída, bolsões de retorno, ciclovias, calçadas adequadas e toda a infraestrutura de drenagem e esgoto. O orçamento inicial era de R$ 6,3 milhões.

Realizado no ano de 2016, o projeto tinha inicialmente sua previsão de entrega em 11 meses; contudo, alguns problemas determinaram o atraso cronograma de execução da obra.

Secretário de Planejamento Urbano de Claudinei Loos

O secretário explicou que no projeto inicial não previa, por exemplo, a drenagem pluvial, a fim de amenizar os alagamentos e garantir mais acessibilidade nos passeios públicos

Um dos principais problemas não previsto na obra era o alagamento na avenida no trecho próximo o portal de Camboriú, sendo necessário elevar a pista em 50 cm.

“Isso não irá resolver completamente, mas ameniza quase por completoos efeitos dos alagamentos crônicos”, explica o secretário de Planejamento.

Outra situação nesse trecho que deve melhorar é a acessibilidade, com a melhoria dos passeios de acordo com a legislação.

Nova galeria (Não prevista)

Nova Galeria “Não prevista”

Uma grande conquista está sendo a construção da galeria inicialmente não prevista na obra,com 2,5 metros por 1,5 metros para extravasar a água da avenida até o Rio Peroba.

“Estamos em contato com as empresas lindeiras (ao redor da avenida) onde, em parceria com a empresa que vai fazer o edifício projetado para 48 pavimentos, estão fazendo uma galeria.”

Disse o secretário que nesse primeiro trecho ainda faltam fazer algumas demolições de muros.

“Percebeu-se a necessidade de entrar nos terrenos de terceiros e indenizar os proprietários e a prefeitura não tinha dinheiro para isso.”

A prefeitura teve que fazer alguns termos de compromisso com os proprietários dos imóveis atingidos, sendo que alguns queriam indenizações e outras contrapartidas (troca por potencial construtivo).

Como não estava no orçamento da obra a demolição e nem a construção de cercas e muros e nisso envolvia dinheiro público e para tal tem que se aplicar com responsabilidade e dentro da lei, o secretário esclareceu que  a execução se tornou meio morosa, por conta de cada situação  encontrada na obra. “Foi necessária essa negociação para se derrubar alguns muros e cercas e para se concluir os passeios e ciclovias. Faltam algumas situações de demarcação da pista e canteiros na pista, parte de pavimentação da ciclovia e passeios públicos, mas está tudo em andamento”, destacou Loos.

Segundo trecho (Portal Turístico ao Posto Irmão da Estrada)

No segundo trecho a obra também entrará em alguns terrenos e a prefeitura é que terá que reconstruir os muros e cercas de algumas propriedades.

“Tudo está sob controle, a comunidade anseia por essa obra e os próprios moradores lindeiros torcem que essa obra se torne em breve uma realidade”, disse Loos.

A drenagem pluvial do segundo trecho estava toda deteriorada, tendo que ser refeita totalmente.

“Não dava para aplicar dinheiro público, algo em torno de seis milhões de reais e dali a pouco ter que arrebentar toda a pavimentação e drenagem novamente”, falou o secretário.

A obra deve se tornar em breve uma realidade. O segundo e terceiro trecho devem ser mais rápidos e a previsão da entrega da obra está definida para o inicio de 2019,se não aparecer nenhum novo imprevisto no projeto.

Reportagem: Edenilson Pozzobon MTB: 006388/SC

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *