Morte de Sargento foi ordenada de dentro da cadeia diz delegado

Sargento Abílio foi assassinado em frente a uma padaria de Camboriú em agosto do ano passado.

O sargento da reserva da polícia Militar Edson Abílio Alves e Felipe Carvalho, o Shereck, foram assassinados no ano passado pelo primeiro Grupo Catarinense (PGC). As ordens foram dadas pelos líderes da facção de dentro da cadeia.

A conclusão é da divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú que deflagrou na quarta-feira operação pra cumprir 21 mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão domiciliar contra 12 pessoas, todas integrantes da facção criminosa nas cidades de Camboriú e Balneário, além dos presídios de São Pedro de Alcântara e Canhanduba.

Das 12 pessoas alvos da operação, sete já estavam presas. Entre elas, os principais líderes do PGC. Das cinco em liberdade, três foram presas na quarta-feira e duas continuam foragidas.

“Um maior de idade e o adolescente que atirou no policial”, conta o delegado Vicente de Assis Soares.

Ele conta que todos os presos, e os sete já encarcerados, têm cargos de liderança dentro da facção criminosa. Desde o início, a DIC suspeitava que o PGC estava envolvido nas duas mortes.

Shereck foi morto em julho. As mãos e a cabeça foram encontradas dentro de um saco no dia 27 perto do cemitério do Rio do Meio. O restante do corpo foi localizado carbonizado na mata. A princípio foi cogitada a possibilidade de a ação ter sido praticada por uma facção rival, porém a investigação comprovou que ele foi morto por ordem de seus líderes, por ter dívida com o grupo.

No mês seguinte, no dia 30, o sargento Abílio foi assassinato a tiros em frente a uma padaria no bairro Tabuleiro, em Camboriú. Sua morte foi encomendada durante uma onda de ataques promovida pela facção contra servidores e órgãos da segurança pública de Santa Catarina.

Os inquéritos entram agora em fase de conclusão pra serem repassados ao Judiciário. Enquanto isso, as polícias Civis da região continuam as buscas aos dois foragidos.

Via Diarinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *