Morre Marivete de Abreu. Mais uma vítima da Saúde

A família solicitou ajuda do jornal ‘O JANELÃO’ para denunciar o descaso na saúde, pois queriam liberar a mulher do Hospital Ruth Cardoso sem o encaminhamento correto para internação.

Filas e mais filas na espera de consultas, demora nos exames, falta de médicos e profissionais de saúde, ausência de política de medicamentos, reclamações e mais reclamações. Esta é a situação da saúde pública que está um caos e fazendo vítimas no Brasil e também em Camboriú.

Apesar de a Constituição Federal garantir a saúde como direito de todos e dever do Estado (poder público), nem todos têm esta sorte e gente morre pela inércia e falta de rapidez no atendimento. Um dos casos foi o de Marivete de Abreu, de 49 anos, moradora do Bairro Cedro, em Camboriú, falecida na noite de quarta-feira (20) no Hospital e Maternidade Marieta, em Itajaí. Marivete lutava contra um câncer há mais de 30 dias e foi matéria de uma reportagem nossa pedindo socorro para ter os seus direitos à internação e tratamento garantidos.

No dia 23 de março deste ano, também no Marieta, faleceu Andressa Quintiliano, de 38 anos, moradora do Bairro Rio do Meio. O caso de Andressa também foi matéria de nosso jornal.

RELEMBRE OS CASO

Há pouco mais de um mês, a família de Marivete de Abreu levou-a até o Hospital de Camboriú Edwirges Bernardes, pois havia suspeita que ela estivesse com um câncer gravíssimo e uma fratura séria na coluna. Marivete deveria ser transferida para o Hospital Marieta, onde são tratadas pessoas com casos graves com o seu, porém foi encaminhada ao Hospital Ruth Cardoso.

🏨 FAMÍLIA VIVE DRAMA EM HOSPITAIS DA REGIÃO – 'Mulher com câncer agoniza por falta de vaga 👇 😨 Após 9 hrs e meia de humilhação e luta no Hospital Ruth Cardoso, família consegue ambulância para levar paciente até Itajaí. ⚠ As notícias por lá não são muito boas.. 😡 EM ITAJAÍ 🤔Na chegada em Itajaí, "falaram que não ligaram do Hospital Ruth Cardoso para avisar que estavam trazendo a paciência. Ai ligaram do Marieta pro Ruth, por causa do encaminhamento do médico e falaram que foi a família que resolveu levar ela. "disse Daniela. Isso é um descaso com o ser humano!!! Bando de abutres que largam as pessoa para morrer. Falta peidade e compaixão. Cadê vcs médicos e prefeitos "Dr° Élcio e Dr° Volnei Morastoni? Atualizando informações:A noite de sábado ela passou por um médico em Itajaí, dai vão decidir se ela vai pra casa ou não? Só no domingo pra sabermos. Absurdo que estamos acompanhando e mostrando a vcs!!! Compartilhe e ajude a mostra esse descaso. Compartilhe!!! Comente

Publicado por O Janelão em Sábado, 19 de maio de 2018

Começava o drama familiar

O Hospital Ruth Cardoso não trata doenças graves e colocaram Marivete numa maca no corredor, onde permaneceu por mais de nove horas.

A direção do Ruth teria pedido para a família levar a paciente para casa. A senhora gritava de dor e se não fosse a família chamar a polícia poderia ter acontecido o pior ali mesmo. A senhora, que sofria de hipertensão, não podia tomar morfina e era justamente isso que estavam dando para amenizar suas dores.

A direção do Ruth Cardoso disse à nossa reportagem que o erro foi do HOSPITAL DE CAMBORIÚ, por não ter dado o encaminhamento adequado para a UNACON (Unidade de Alta Complexidade em Oncologia) em Itajaí.

Obs: Camboriú disse que Marivete possuía domicílio em Tijucas, porém como a família é de Camboriú, teriam levado a moradora ao Hospital Cirúrgico Edwirges Bernardes.

Na época, após a chegada de nossa reportagem e vendo a repercussão, o Hospital Ruth Cardoso conseguiu uma ambulância para transportar a mulher até Itajaí.

“O atendimento aqui no Ruth é péssimo. Cadê os Secretários de Saúde, estão onde? Por que se o povo de Itajaí procurar o secretário de Itajaí, ele está sempre presente. Pouca vergonha”, disse Ângela Maria, irmã da paciente.

Marivete de Abreu sofreu um bocado para ter esse direito à saúde garantido. Daniela de Lima, nora da paciente, contou que o Hospital Marieta alegou que não sabiam que uma paciente estava sendo encaminhada pra lá e que a decisão de levar a paciente até Itajaí teria sido da família, fato negado pelos familiares.

“Isso é um descaso com o ser humano!!! Bando de abutres que largam as pessoa para morrer. Falta piedade e compaixão”, disse Daniela.

Após muita insistência e vendo que a situação era grave, o Hospital Marieta resolveu internar Marivete. Logo se descobriu em uma biópsia que estava com câncer nos ossos, tendo a doença se alastrado rapidamente pelo resto do corpo e no dia 20 à noite nosso jornal recebeu a notícia do falecimento da mulher.

Marivete deixou 4 filhos: André, Fernando, Luciana e Isabele – a mais nova com 5 anos – e três netos.

O enterro foi na quinta-feira(21) em Camboriú.

Nessas horas se vê o descaso e humilhação que a população passa; as pessoas mesmo padecendo são mandadas embora para morrer. A política de saúde púbica precisa ser revista. Esperamos que o povo acorde nas eleições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *