Merendeiras e serventes protestam em frente à Prefeitura de Camboriú

Servidoras pediram pela volta das 6h diárias. 

O final da tarde desta sexta-feira (24) foi de protestos. Em frente à Prefeitura, merendeiras e serventes se reuniram pedindo pela volta da carga horária de 6h diárias, que prefeito Élcio Kuhnen retirou este ano. A manifestação foi organizada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Camboriú, o Sisemcam.

O assessor de gabinete do prefeito Alexandre Silveira, marcou uma reunião com o Sisemcam na próxima sexta-feira, 31, para discutir as reivindicações da categoria.

“As merendeiras, assim como as serventes, trabalham hoje 8h por dia, recebendo o pior salário da AMFRI. Nesta reunião, iremos argumentar com o prefeito em prol de justiça para os servidores”, destaca a presidente do sindicato, Luciana Sobota.

Segundo dados da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí – AMFRI, os servidores de Camboriú têm um dos salários mais baixos dos municípios associados. Auxiliares de serviços gerais, por exemplo, recebem R$ 1.035,23, contra R$ 1.285,88 da cidade vizinha, Balneário Camboriú. A diferença aumenta para os especialistas: Em Camboriú, fonoaudiólogos recebem R$ 1.685,94, enquanto os de Balneário Camboriú ganham R$ 3.951,58.

O que diz a prefeitura

A Prefeitura de Camboriú reforça que o benefício é inédito e criado pela atual administração para valorizar os servidores públicos que recebem um salário inferior a R$1.250.

Neste momento, em função da baixa arrecadação do município, não se pode prometer um valor maior que o oferecido e comprometer o orçamento, prejudicando outros serviços públicos.

A administração municipal, com a intenção de sempre buscar o melhor para seus colaboradores, vai reavaliar a proposta.

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *