Mais uma vítima da pipa com cerol na região

Apesar da venda  ser proibida, cerol em pipas cada vez mais vítimas em Itajaí e região. Graças a Deus nem uma morte registrada. 

Uma brincadeira perigosa e muito comum entre as crianças e adolescentes: soltar pipa ou papagaio utilizando linhas cortantes. A prática é proibida por lei, mas ainda há quem se divirta sem se importar com as consequências. Para se ter uma ideia, somente nesses últimos dias, nosso Jornal ‘O Janelão’, já divulgou, mais de 5 acidentes com cerol ou linha chilena, desses, um em Balneário Camboriú e outros casos em Itajaí.

Nesse domingo, dia das mães, um outro acidente quase tirou a vida de um MOTOQUEIRO. Ele chegou a gravar um vídeo, contando a sua história.

Desde 2001 Santa Catarina tem uma lei que proíbe a venda de cerol e também o uso de materiais cortantes em pipas. Além da apreensão do objeto, o infrator pode ter que pagar multa de R$ 200, e se for menor de idade quem responde é o responsável legal.

Falta de fiscalização

A lei existe, mas do que adianta fazer lei? Se falta fiscalização dos órgãos competentes.

Em Camboriú o uso de cerol é proibido por Lei A Lei Municipal nº 2616/2013, proíbe a prática de empinar “pipas” ou “papagaios” nos logradouros públicos em locais que estejam a menos de 200 metros de qualquer ponto de fiação aérea das redes de transmissão telefônica e de energia elétrica, mas também falta fiscalização.

Também é proibido em Camboriú o uso de linhas com substâncias ou elementos cortantes, conhecidos como cerol ou similares.

Veja também:

3 de maio – Linha com cerol faz outra vítima na região
Motociclista tem pescoço cortado por linha de pipa com cerol em Balneário Camboriú
JANELÃO
“Tenha fé, vai dar tudo
certo. WhatsApp ‘996216941’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *