Instituto de Meio Ambiente concede licença ambiental para construção da ETA Penha

 

O Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Santa Catarina concedeu nesta semana a Licença Ambiental a Águas de Penha para a construção da Estação de Tratamento de Água (ETA), no bairro Santa Lídia. De acordo com Tiago Santos e Souza, analista de meio ambiente da concessionária, a licença é a garantia do órgão ambiental para que a concessionária realize as obras do empreendimento. Tiago destacou também a celeridade do órgão ambiental na análise do pedido de licenciamento.

A concessionária vai investir R$ 9 milhões para construir a ETA, como alternativa para ampliar o fornecimento de água nos períodos de alto consumo. A ETA vai promover um incremento de 70 litros por segundo de água tratada à cidade, amenizando o risco de desabastecimento no verão. Reginalva Mureb, presidente da Águas de Penha, explica que a concessionária tem pressa em iniciar a obra, considerando que o empreendimento promoverá melhoria do abastecimento em período de pandemia e no de maior consumo que ocorre na Temporada de Verão.

Mesmo com a liberação da Licença Ambiental, o começo da construção está dependendo da liberação do Alvará de Construção, de responsabilidade do município. “Todas as obras civis do empreendimento já estão contratadas, apenas aguardando alvará municipal para dar início as obras”, pontua o engenheiro Rudner Sapla, coordenador de engenharia da concessionária.

A ETA ocupará uma área de 2.370 metros quadrados nas proximidades da rua Honório Bortolatto. O sistema captará água de uma lagoa e contará com uma adutora de 5 quilômetros que levará água tratada até o reservatório no Mariscal, entregue pela Águas de Penha no final de 2019. De construção metálica, a ETA contará com floculadores mecânicos, decantadores de alta taxa e filtros de areia e antracito (carvão mineral).

Complementam o complexo de tratamento de água, bombas de retrolavagem dos filtros, sistema de recuperação de água de lavagem dos filtros e sistema de adensamento e desaguamento do lodo dos decantadores através de “bags”. Também fazem parte da estrutura a casa de química, sistema de estocagem e dosagem de produtos químicos (policloreto de alumínio, hipoclorito, cal, polímeros e flúor), reservatório elevado de água potável, sala de operação e laboratório, subestação elétrica e gerador diesel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *