Houve protesto em escola de Camboriú por falta de professores

Os vereadores John Lenon Teodoro (PSDB) e Inalda do Carmo (DEM), que estiveram nesta segunda-feira (09/04) em visitas fiscalizando as unidades educacionais, acompanharam também um protesto por falta de professores na rede municipal de ensino em Camboriú.

A manifestação aconteceu na Escola Anita Bernardes Ganancini, no bairro Monte Alegre, onde falta professor para as aulas de inglês desde o início do ano. Há necessidade também de monitores de inclusão. Na escola Arthur Sichmann, também houveram reclamações de pais por falta de professores.

Esse tema chegou a ser assunto na edição 09 de nosso jornal impresso.

A escola possui 18 alunos com necessidades especiais e faltam no mínimo mais quatro ou cinco Monitores de Inclusão.

O Janelão – Professora o que acarreta essa falta de monitores nas salas de aula?
Professora Shirley – Eu acredito que a deficiência no atendimento dos demais alunos, não só de demais alunos, mas também nos alunos com deficiência. Por que o professor que tem mais de 30 alunos numa sala e dois ou mais alunos com deficiência vai fazer um trabalho de qualidade? Isso não vai acontecer, isso é uma utopia. Então o que falta para nós, é que secretária de educação tenha um olhar diferenciado nesse sentido. E que nos atenda mais rápido possível. Nós professores, estamos esgotados de não dar conta e não estamos conseguindo fazer um bom trabalho. O que se quer é um ensino de qualidade, tanto para os alunos com deficiência, quanto para os demais alunos. O que não pode ser feito, é deixarem as coisas rolarem com estão rolando.

O Janelão – Por que professora?

Professora Shirley –Por que nós estamos terminando o primeiro trimestre e ainda não foi solucionado. E, além disso, temos a falta de professores específicos, comopor exemplo de Inglês.

O Janelão – Todas essas demandas já foram levadas para a Secretária de Educação?

Professora Shirley – Já! Tudo isso é de conhecimento da secretaria, sim. Com certeza, eles têm plena consciência disso, eles sabem de todas as demandas das escolas e eu não estou dizendo que essa seja uma demanda somente dessa escola; eu acredito que outras escolas estejam passando pelo mesmo problema. Mas eu acredito que a escola Anita é uma escola grande e precisamos desse suporte o mais rápido possível, por que a gente cobra do diretor o tempo todo, mas uma andorinha só não faz verão. O diretor sozinho não vai resolver o nosso problema. Mas, muito me admira é que as pessoas que estão na Secretaria de Educação, são profissionais de sala de aula, eles sabem com é nosso dia a dia, elessabem com é o cotidiano de um professor comoo Anita. As nossas escolas tem que ser melhor assistidas. Talvez esteja faltando profissionais -eu não estou lá dentro para poder falar -, mas está faltando um pouco mais de empenho nesse sentido.

As famílias estão sendo orientadas a entrar com uma ação no Ministério Público, para que o órgão busque a solução de tantos problemas junto à Secretaria de Educação.

O que diz a Secretaria de Educação

A Secretaria de Educação de Camboriú passou a oferecer, este ano, inglês também para o ensino fundamental, o que aumentou a demanda por estes profissionais. Ocorreu uma dificuldade de suprir o quadro com estes professores – foram chamados todos os aprovados no processo seletivo do início do ano, chamados aprovados no concurso público e aberto processo seletivo especial (realizado nessa segunda-feira). Assim, espera-se regularizar esta situação de falta de professores de inglês.

Com relação aos monitores de inclusão foram feitos vários chamamentos. Em alguns casos isolados, a Secretaria tem a necessidade de receber novos laudos da família – há casos de laudos de 2012, que precisam ser atualizados de acordo com o exigido pela legislação. Assim que estes laudos forem atualizados e a necessidade constatada, novos monitores serão chamados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *