Homem morre após tentar fugir de abordagem policial em Camboriú (SC)

Um homem de 26 anos morreu no final da tarde desta segunda-feira (8) em Camboriú, depois de reagir contra policiais e levar tiros de munição de elastômero ( Bala de borracha).

A ocorrência foi gerada às 17:34 horas, na rua Joaquim Garcia, no Centro de Camboriú. Segunda a Polícia Militar, uma guarnição estava realizando rondas quando visualizou uma moto Honda CG caída ao chão na rua, que fica próximo o I.F.C – Instituto Federal Catarinense ( Antigo Colégio Agrícola).

Segundo a Polícia Militar, Anderson de Souza Farias Stolfi, teria saindo correndo para uma área de mata. Populares teriam informado ao policiais, que o Anderson vinha em alta velocidade, realizando manobras perigosas, aparentando estar sob efeito de algum entorpecente.

Os policiais se dirigiram até o mato e tiveram que usar técnicas como o uso progressivo da força e efetuar disparos de tiros de munição de elastômero ( Bala de borracha), para conseguir  conter e algemar o homem. 

COMEÇOU A PASSAR MAL

Mesmo na caixa da viatura, Anderson que estava sob suspeita resistia, efetuando chutes contra a tampa da mesma. Porém, após os policiais recolherem os pertences dele e retornarem à viatura, e foi aí que foi verificado que este não respondia mais aos estímulos verbais.

Imagem mostra os policiais realizado a técnica de procedimentos de RCP até a chegada da equipe do SAMU

– Prontamente os PMs iniciaram os procedimentos de RCP até a chegada da equipe do SAMU, que continuou o atendimento de emergência no local.

O SAMU conduziu Anderson ao Hospital. Mais tarde, a PM foi informada que o autor tinha vindo óbito.

Populares contaram a nossa redação, que a vítima deu muito trabalho aos policiais.

Diante disso, foram acionados os órgãos competentes, Polícia Civil e IGP.

A Polícia Militar irá instaurar IPM para investigar o fato.

Imagem de encontro família da Anderson com a família.

O QUE DIZEM OS FAMILIARES DA VÍTIMA

“Um pai de família, que foi abordado e espancado. Levou tirou de borracha e depois morreu. Uma versão diferente está daquela dada pela polícia.” relatou um primo da vítima.

Anderson de Souza farias Stolfi, é morador do Monte Alegre e deixa um bebê de 3 meses e outro de filho de 5 anos. Nesta segunda-feira, segunda o primo, ele trabalhou a manhã toda com a esposa em casa tarde com seu pai.

Anderson de Souza Farias Stolfi com seu filho.

“Ele nunca roubou, matou e nem fez mal a ninguém. Filho único, morto. Agora não não podemos ouvir a versão dele, pois ele está morto.” finalizou o primo.

O funcionamento da munição de elastômero (bala de borracha)

Bala de borracha consiste de um projétil de látex para conter tumultos violentos ou manifestações onde a intenção é de dispersar a turba.

O nome técnico desse tipo de munição é munição de elastômero e pode apresentar-se em vários formatos e tipos.

Basicamente é encontrado no calibre 12, podendo constituir-se de projétil singular ou em vários fragmentos.

” alt=”” aria-hidden=”true” />rubber_buckshot
Munição no calibre 12. O cartucho geralmente é transparente para não haver confusão com o de uso letal.

É semelhante a munição comum, pois tem uma cápsula com pólvora para impulsioná-la e uma ponta, que é a parte que atinge o alvo. A diferença é que a ponta não é de metal como nas munições comuns, mas de borracha.

A vantagem desse material é que ele não perfura a pele profundamente, porém a munição de borracha pode causar ferimentos graves se atingir o rosto, cabeça e até fatal em pontos como nuca ou nos olhos, ou dependendo da distância, perfurar órgãos internos pelo impacto da bala. Por isso os tiros só devem ser dados na direção das pernas.

Fonte: PMSC 12° BPM e Google

PUBLICIDADE

Produtos eletrônicos em Camboriú é com a Top Mais Eletrônicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *