Homem acusado de estupro é torturado e morto no Paraná. População fez “justiça”

Um crime cometido na noite de quinta-feira (22), no bairro Cajuru, em Curitiba, chamou a atenção e está sendo investigado pela polícia. Um homem, foi encontrado morto, dentro de casa, com marcas de tortura e espancamento pelo corpo, além de um ferimento por arma de fogo.

Polícia Civil (PC) esteve no local e levou um líder da comunidade para prestar depoimentos. De acordo com testemunhas, a polícia havia sido avisada que seria realizada uma execução, entretanto, ninguém atendeu a ocorrência.

O crime ainda é cercado de mistérios. Os vizinhos de Antônio Justino Leal informaram que havia boatos que a vítima seria um estuprador. Uma mulher, que não terá a identidade revelada, contou que ele seduzia crianças para irem até a casa e lá cometia os abusos.

O depoimento de uma mãe de um menino de seis anos é chocante. A mulher, bastante abalada, revela que o filho foi abusado pelo homem. Segundo a testemunha, a criança começou a falar sobre o caso, depois que ouviu que um outro amiguinho também tinha sofrido abusos do suspeito.

Outra moradora contou a insatisfação pela atitude da polícia de não atender a denúncia contra o homem, porém, comemorou a morte. “A polícia não fez nada”, em uma alusão que desta forma, a justiça foi feita. A PC investiga o caso e já na noite do crime levou o líder comunitário da região para prestar depoimentos.

A suspeita é que a execução tenha sido planejada por moradores do local, como um modo de fazer justiça com as próprias mãos. Após conversar com os agentes, o homem foi liberado.

Via Tapejara News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *