Governador Carlos Moisés anuncia saída do PSL

Governador anunciou a decisão de cancelar inscrição no partido que o elegeu neste sábado. A desfiliação do PSL já esperada e as eleições de 2022.

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, anunciou a sua desfiliação do PSL neste sábado em encontro com apoiadores em Florianópolis. Ele ficará sem filiação partidária nos próximos meses.

Segundo o chefe do Executivo estadual, o movimento tem o objetivo garantir foco total na administração catarinense.

“O momento exige dedicação exclusiva para que possamos superar de vez a pandemia, acelerando ainda mais a vacinação, e garantir a continuidade do crescimento econômico em Santa Catarina”, afirmou o governador.

Continua depois da publicidade

Publicidade

O deputado estadual Onir Mocellin, o secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentavel, Luciano Buligon, o secretário de Articulação Nacional, Lucas Esmeraldino, e diversas lideranças do interior acompanharam o anúncio do governador.

Segundo o colunista do Grupo ND+ Moacir Pereira, a decisão do governador Carlos Moisés de cancelar filiação no PSL não traz grandes repercussões políticas e ocorre sem nenhuma surpresa. Era esperada há mais de meses, mais de um ano.

Ao longo das últimas semanas, diversos deputados, prefeitos e vereadores têm conversado com o governador pra reafirmar o desejo de seguirem juntos no mesmo projeto político para Santa Catarina. O governador deve ser candidato à reeleição nas eleições de 2022.

Dos seis deputados estaduais que assumiam cadeira no Parlamento cinco romperam com o governador pela total falta de diálogo. Ele ficou apenas com o voto do coronel Mocelin.

Ao anunciar a saída, o governador explicou que estava optando pela administração estadual. Na realidade, estava sem clima dentro do PSL.

Uma crise que se arrasta há mais de ano, desde que suas relações se deterioraram com o presidente do Diretório Estadual, deputado federal Fábio Schiochet.

Há muito tempo que Schiochet vem articulando ações no PSL, visando as eleições de 2022, sem qualquer contato com o governador. Entre os inúmeros contatos, destaque para várias reuniões com o adversário de Carlos Moisés em 2018, o ex-deputado Gelson Merísio.

Esta oficialização da saída do PSL é outro sinal inequívoco de sua disposição de concorrer à reeleição no próximo ano. A partir de agora, Moisés passa a avaliar cenários e a definir qual a melhor sigla para realizar seu projeto.

PARTIDOS DE OLHO (MDB E PP)

Especulações nos bastidores é que não faltam. Cogita-se, entre as principais legendas, que estaria de olho no MDB, o mais estruturado em Santa Catarina, que realizará prévias no fim deste ano ou inicio de 2022.

A resistência da bancada na Assembleia contra as prévias em 15 de agosto – afinal vitoriosa com o cancelamento da consulta – também pode ser um indicativo de conversações neste sentido.

O PP tem lideranças que trabalham pela filiação de Carlos Moisés, incluindo o líder na Assembleia Legislativa, deputado José Miltom Scheffer e o secretário Altair Silva.

Hipóteses de que venha a preferir uma sigla de menor expressão também não se descarta.
A rigor, uma única certeza nos meios políticos: Carlos Moisés da Silva foi eleito governador em Santa Catarina pelo 17 e com a força eleitoral de Jair Bolsonaro.

Mas não estará com o presidente da República nas eleições do próximo ano.

Governador Carlos Moisés está sem partido após desfiliação do PSL – Foto: Arquivo/Agência Alesc/Divulgação/ND

Crédito ND+ e Moacir Pereira

Cada vez mais perto de vc!!!! Aguarde em breve novidade que vai agitar Camboriú e região….
(47)9 91911001

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *