Estado está proibido pelo MP de repassar recursos para evento Gideões 2020 

As suspeitas são de irregularidades nos repasses 2017 e 2018. 

A pedido do Ministério Público de Contas (MPC/SC), o Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC) determinou que a Santur está proibida de repassar recursos à Associação Movimento Comunitário Rádio Paz no Valle FM, que representa o Encontro de Gideões da Última Hora, da igreja Assembleia de Deus. A decisão é válida até que as suspeitas de irregularidades nos repasses feitos em 2017 e 2018 sejam esclarecidas.

O congresso, que ocorre anualmente em Camboriú, é um dos maiores eventos evangélicos do país. Reúne mais de 100 mil pessoas, e no ano passado contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro – a primeira visita do presidente da república a Santa Catarina.
Os repasses questionados correspondem a R$ 700 mil – R$ 400 mil em 2017, na 35ª edição do evento, e R$ 300 mil em 2018, na 36ª edição.

Ocorre que o Ministério Público de Contas já havia recomendado, em 2018, que o Estado não fizesse novos repasses porque a associação ainda não havia prestado contas do valor recebido em 2017. A prestação de contas foi feita às pressas e a extinta Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (Sol) liberou a verba.
As investigações continuaram, e o Ministério Público identificou possíveis irregularidades na prestação de serviços e nos orçamentos que foram apresentados. Foram essas novas informações que embasaram o pedido cautelar de bloqueio de novos repasses.

O conselheiro Herneus de Nadal determinou que a associação e a Santur sejam ouvidas, e apresentem justificativas sobre as supostas fraudes em até 30 dias.

No ano passado, o Estado não fez repasses para o Congresso de Gideões. Representantes da Associação Movimento Comunitário Rádio Paz no Valle FM não foram localizados para comentar os apontamentos do Ministério Público.

Por Paulo Roberto Silva

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *