Construção da ETA Penha avança com conclusão de parte da concretagem

 

As obras da Estação de Tratamento de Água de Penha seguem em ritmo acelerado. Até o momento já foram realizadas as obras de concretagem do tanque de contato, armação do aço do tanque de lodo e concretagem da base dos módulos metálicos da ETA Penha. Também foi realizada a conclusão das obras da adutora de água bruta, que liga a captação à estação de tratamento. Já as obras de construção da adutora de água potável de 315 milímetros, que vai levar água até o reservatório do Mariscal, se aproximam dos 3 quilômetros, dos 5 quilômetros previstos. Até o momento  já foram utilizados na obra  mais de 150 metros cúbicos de concreto na obra.

 

O engenheiro Pedro Escobar Senra, da concessionária Águas de Penha, que supervisiona o andamento da obra, explica que a intenção é aumentar o número de operários na construção para que os trabalhos avancem no maior número de frentes de trabalho possíveis de forma simultânea. “Essa é uma obra essencial para a cidade de Penha e segue em andamento de acordo com o cronograma”, pontua a presidente da concessionária, Reginalva Mureb.

 

Ela destaca ainda a importância do acompanhamento das obras pelos moradores. “Desejamos que a população acompanhe a construção em tempo recorde desta Estação de Tratamento de Água, que sequer estava prevista no contrato de concessão, e conheçam o esforço da empresa em amenizar os problemas de abastecimento no período de temporada”, enfatiza.

 

Com a construção da unidade, será possível ampliar a vazão de água em Penha em 70 litros por segundo nos períodos de maior consumo, sem dispensar a água recebida do rio Piçarras. A estação ocupará uma área de 2.370 metros quadrados nas proximidades da rua Honório Bortolatto, no bairro Santa Lídia. Com um investimento de R$ 9 milhões, a ETA Penha é uma alternativa para ampliar o fornecimento nos períodos de alto consumo no município.

 

De construção metálica, a ETA contará com floculadores mecânicos, decantadores de alta taxa e filtros de areia e antracito (carvão mineral). Complementam o complexo de tratamento de água, bombas de retrolavagem dos filtros, sistema de recuperação de água de lavagem dos filtros e sistema de adensamento e desaguamento do lodo dos decantadores através de “bags”. Também fazem parte da estrutura a casa de química, sistema de estocagem e dosagem de produtos químicos (policloreto de alumínio, hipoclorito, cal, polímeros e flúor), reservatório elevado de água potável, sala de operação e laboratório, subestação elétrica e gerador diesel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *