Como o WhatsApp quer impedir você de continuar a encaminhar mensagens

Você já deve ter recebido no WhatsApp uma mensagem encaminhada por algum amigo que, a princípio, parecia estranha. Mas, com o tempo, outros conhecidos mandaram a mesma coisa. E, com o volume de informação semelhante chegando a todo momento, você foi praticamente obrigado a prestar atenção naquilo. As pessoas que deram o alerta sobre o assunto não fizeram por mal, mas sentiram que deveriam compartilhar aquilo com você. O problema é outro.

A função de encaminhar mensagens passou a ser crucial para a estratégia de pessoas que criam e espalham boatos, notícias falsas e até golpes. Elas sabem que você vai querer compartilhar isso com alguém próximo. O WhatsApp já notou isso e até adotou algumas restrições, como fixar a quantidade de destinatários em cinco contatos. Só que agora o serviço de bate-papo mais popular do Brasil prepara uma série de medidas para não só limitar a capacidade que você tem de mandar uma determinada mensagem, mas proibir de vez que ela apareça em grupos.

Antes de colocar seu plano em ação, o WhatsApp criou duas novas funções, que ainda não foram liberadas para todo mundo, mas já podem ser vistas em versões de testes do aplicativo. A primeira delas é a “Informação sobre encaminhamento”.

Sabe aquela janela que indica se uma mensagem foi entregue a um destinatário e lida por ele? Pois bem, ela vai ganhar um terceiro elemento. Passará a mostrar quantas vezes a mesma mensagem já foi encaminhada.

O segundo recurso é uma indicação que aparecerá na própria mensagem. Você já deve ter notado que conteúdos reenviados são sinalizados com um “encaminhado” acima deles. A novidade é que as mensagens reenviadas pelo menos cinco vezes serão classificadas como “encaminhadas com frequência”.

Essas duas novidades foram incluídas na versão beta do WhatsApp 2.19.86, para Android, e 2.19.40.23, para iOS. Só que até aí o único efeito prático delas é avisar que mensagens desse tipo são virais e, por isso, você deve ficar com a pulga atrás da orelha quanto conteúdo delas.

O WhatsApp está desenhando, no entanto, uma forma de usar essas informações para mudar o jeito com o aplicativo é usado. Os detalhes da estratégia estão na nova versão beta do serviço para Android, a 2.19.97.

O aplicativo que pertence ao Facebook incluiu nessa versão de teste um recurso que impedirá as mensagens encaminhadas com frequência de serem publicadas em grupos. A ferramenta ainda está sendo desenvolvida pelo WhatsApp, segundo o WABetaInfo, que descobriu como ela vai funcionar.

Se o administrador optar pela restrição, não quer dizer que o conteúdo daquela mensagem não poderá nunca mais ser veiculado no grupo. Qualquer integrante pode muito bem copiar o que diz a mensagem e enviar como se fosse um texto escrito por ele. Isso, porém, tornaria o processo de disseminação mais lento, o que pode desencorajar o compartilhamento.

Não há previsão de quando o novo recurso chegará a todos os usuários do WhatsApp, mas seu desenvolvimento sinaliza que o aplicativo está interessado em conter a explosão de conteúdos enganosos que usam a plataforma para se espalhar de forma viral.

Nesta semana, o aplicativo já deu um passo nesta direção: liberou uma forma dos usuários evitarem serem incluídos em grupos indiscriminadamente. Agora, é possível escolher que apenas contatos façam isso.

Helton Simões Gomes
Do UOL, em São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *