Com forte queda no movimento, postos têm gasolina devem começar demissões

As venda de combustíveis desabaram nos postos de todos o Brasil por causa do novo coronavírus. A determinação do governo para que as pessoas fiquem em casa fez com que o movimento encolhesse mais de 50% nesta semana.

Para atrair os poucos motoristas que estão circulando ruas do país, os postos reduziram novamente os preços da gasolina nas bombas. Hoje, é possível encher o tanque por até R$ 3,899 o litro, desde que o pagamento seja feito em dinheiro.

Fora do sistema de Apps, os preços mais baixos da gasolina estão variando entre R$ 4,080, em Taguatinga, e R$ 4,157, em Águas Claras. Há, no entanto, estabelecimentos cobrando até R$ 4,499 por litro do combustível. Pesquisar preços, portanto, é fundamental. Cada centavo de economia faz a diferença.

Ajuda da Petrobras

Além da retração do consumo, que estimula a desova dos estoques, os postos estão repassando aos motoristas parte das reduções de preços feitas pela Petrobras nas refinarias. A estatal está se aproveitando do tombo das cotações do petróleo no mercado internacional. Somente na última quarta-feira (18/03), a baixa na gasolina foi de 12%. Na semana anterior, a estatal havia anunciado diminuição de 9%.

A perspectiva é de que o movimento dos postos caia ainda mais nos próximos dias, por causa do endurecimento das medidas do governo para tentar conter a disseminação do novo coronavírus. A partir de agora, começará o pior momento para a contaminação.

“Estamos preparados para reduzir o tempo de funcionamento dos postos ou mesmo fechar algumas unidades, caso seja necessário”, ressalta outro gerente. “Mas todos podem ficar tranquilos: quem precisar sair de casa de carro terá onde abastecer”, avisa.

Via Correio Braziliense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *