Com fila de espera por UTI, SC aplica ‘protocolo’ que escolhe pacientes que tem direito a leito

Com hospitais lotados, SC oficializa critério que define quem tem prioridade na fila por UTI. Estado catarinense está com mais de 300 pacientes à espera por leito de UTI.

Desde fevereiro, médicos já usam, em algumas unidades, o protocolo que agora precisa ser adotado por todos os hospitais.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) emitiu aos hospitais catarinenses um documento que determina o uso do Protocolo de Alocação de Recursos em Esgotamento pelos hospitais de Santa Catarina. Na prática, a regra define qual paciente terá prioridade por uma vaga em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O texto enviado às unidades na sexta-feira (26) foi proposto em abril do ano passado por instituições de saúde do país para ser usado em cenário de colapso do sistema hospitalar. Desde fevereiro deste ano, médicos já utilizam o protocolo em algumas unidades de saúde catarinenses. Com a nova deliberação, o estado reconheceu que ele precisa ser adotado por todos os hospitais.

Em Santa Catarina, os hospitais continuam lotados e há 363 pacientes aguardando uma vaga em leito nas unidades de terapia intensiva. Segundo o boletim do governo estadual desta segunda-feira (29), a taxa de ocupação de leitos UTI para pacientes adultos com Covid era de 99,28% e 10,5 mil pessoas morreram por causa da doença.

No protocolo agora em vigor em todos hospitais, a faixa etária não faz parte dos critérios. No entanto, pacientes que não têm doenças avançadas e estão em bom estado de saúde física tendem a ter prioridade por terem mais chances de sobreviver à internação.

Com a alta demanda por insumos, nas últimas semanas unidades de públicas e privadas se manifestaram por meio de ofícios afirmando ser urgente a aquisição de medicamentos, principalmente aqueles relacionados ao “kit intubação”. O estado já afirmou que os produtos estão escassos.

Publicidade

Procurara, a SES afirmou na manhã desta segunda-feira (29) que recomenda o uso de protocolos de “órgãos representantes de emergência e UTI” e destacou que desde antes do surgimento da Covid-19 já era recomendado o Protocolo para todo paciente que desse entrada em UTI.

Nesse caso, o paciente é avaliado do potencial benefício, informou a pasta ao reiterar que “todo paciente que precisa de atendimento em Santa Catarina recebe assistência e é estabilizado nas emergências hospitalares e serviços pré-hospitalares como UPA 24h e Pronto Atendimento Municipais”.

Por Por Caroline Borges e Dagmara Spautz, G1 SC e NSC TV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *