Cidade de SP cancela eventos públicos com grande aglomeração

Ato da prefeitura inclui programações promovidas pelo poder público; administração sugere que eventos particulares também sejam adiados.

SÃO PAULO – A prefeitura de São Paulo determinou na tarde desta sexta-feira o cancelamento de todos os eventos promovidos pelo poder público com grande aglomeração de pessoas na cidade. A restrição, provocada por conta do novo coronavírus , é válida por tempo indeterminado e foi assinada pelo prefeito em exercício, Eduardo Tuma (Bruno Covas está licenciado pelos próximos dias por questões pessoais).

Segundo a administração municipal, todos os eventos governamentais, esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos e comerciais não poderão ser realizados. A prefeitura, que sugere que a mesma medida seja adotada para eventos organizados pela iniciativa privada, chegou a anunciar que eventos religosos também estão proibidos, mas informou no fim da tarde que não há alteração para esse tipo de evento.

No fim da tarde, a Arquidiocese de São Paulo soltou nota confirmando a manutenção das missas. “Recomenda-se manter as igrejas abertas, limpas, e bem ventiladas, para as celebrações e atividades religiosas”. O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) anunciou que estará de portas fechadas a partir deste sábado.

Outras medidas restritivas deverão ser anunciadas ainda na tarde desta sexta, durante entrevista coletiva com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na capital paulista.

Veja mais

A decisão da prefeitura segue na contramão do governo de São Paulo, que até o momento tem mantido as atividades abertas ao público. O governador João Doria informou que qualquer mudança seria feita de acordo com a análise da evolução da doença no estado.

Até a última atualização na tarde desta sexta-feira, São Paulo tinha 753 casos suspeitos da doença e 56 confirmados.

Assim como o Rio de Janeiro, São Paulo já registrou casos de transmissão sustentada ou comunitária do novo coronavírus . Esse tipo de transmissão ocorre quando não é mais possível saber a origem da infecção por ter se alastrado aleatoriamente. É diferente da transmissão local, quando se sabe quem passou o vírus a quem.

Silvia Amorim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *