CHAVES NO SBT: Emissora informa que deixará de exibir seriado após 36 anos

Após 36 anos, o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) lamentou a perda do direito de transmissão do seriado Chaves, um dos programas mais populares da história da televisão brasileira. Também deixarão de serem exibidos os seriados “Chapolin” e “Chespirito”.

A partir deste sábado (1º), a emissora de Silvio Santos fica proibida de transmitir episódios da série por questões contratuais. Na última quarta-feira (29), ela foi informada sobre a interrupção pela Televisa, canal mexicano detentor dos direitos do seriado.

A justificativa é que há pendências a resolver com o titular do direito da produção. A renovação já havia sido verbalmente acordada entre as partes envolvidas, mas o SBT foi pego de surpresa a poucos dias do fim do contrato. Atualmente, o canal do YouTube “Fórum Chaves” exibe diversos episódios clássicos e “perdidos”:

Em nota, a emissora de Silvio Santos lamenta a decisão “principalmente em respeito ao eu público, que acompanha fielmente os seriados há tantos anos”. “A emissora continua na torcida para um acordo entre as duas empresas mexicanas o mais rápido possível e, se isto acontecer, teremos o prazer de informar aos fãs de Chaves, Chapolin e Chespirito, imediatamente”, diz um trecho do comunicado.

O seriado

No programa, a audiência acompanha o dia a dia de Chaves, um menino pobre que passa sua infância em uma pequena vila ao lado de seus amigos, Chiquinha e Kiko. Ele cria complicações para os adultos Seu Madruga, Seu Barriga, Professor Girafales, Dona Florinda e a Bruxa do 71.

Exibido primeiramente no Canal 8, o roteiro veio de um esquete escrito por Bolaños, onde uma criança de oito anos discutia com um vendedor de balões em um parque (interpretado por Ramón Valdés). Bolaños deu importância ao desenvolvimento dos personagens, aos quais foram distribuídas personalidades distintas. Desde o início, seu criador percebeu que o seriado seria destinado ao público de todas as idades, mesmo se tratando de adultos interpretando crianças. O elenco principal é composto por Roberto Bolaños, María Antonieta de las Nieves, Ramón Valdés, Florinda Meza, Carlos Villagrán, Edgar Vivar, Rubén Aguirre, Angelines Fernández, Horacio Gómez e Raúl Padilla.

O sucesso de El Chavo del Ocho foi tanto que, em 1973, foi distribuído em vários países da América Latina, obtendo altos índices de audiência. Estima-se que no mesmo ano, foi visto por mais de 8,3 milhões de telespectadores a cada dia. Devido à popularidade, o elenco realizou turnês internacionais que compreenderam vários países nos quais era transmitido à época, numa série de apresentações onde dançavam e atuavam no palco ao vivo.

No final de 1978, Villagrán deixou o programa, devido a conflitos sobre a autoria de seu personagem Kiko, e, meses depois, Valdés fez o mesmo, por razões pessoais. Valdés, no entanto, retornou ao programa pouco tempo depois. A última transmissão do seriado foi em 7 de janeiro de 1980, entretanto continuou como um quadro do programa Chespirito até 12 de junho de 1992. Desde 2 de maio de 2011, o show é exibido nos Estados Unidos na rede UniMás, embora o show tenha sido exibido anteriormente na rede irmã Univision e sua antecessora, o Spanish International Network. A frequente ocorrência de expressões idiomáticas mexicanas tornou El Chavo del Ocho muito difícil de traduzir para outras línguas, exceto para o português, que é muito similar ao espanhol. Bolaños considerou que o impacto da série em outros países era devido ao sucesso de El Chapulin Colorado.

No que diz respeito ao enredo, o seriado obteve uma recepção essencialmente grotesca e negativa nas suas primeiras exibições, já que o conteúdo era classificado como “grotesco”, “idiota”, “fútil”, “alienante” e “não recomendável”. Um dos temas que mais críticas negativas levantou, foi a violência explícita através de golpes e insultos entre alguns dos personagens. Contudo, outros meios garantiram um aspecto positivo de El Chavo del Ocho que era a utilização de “situações universais” com as quais o público pode se identificar facilmente, independentemente da idade e nacionalidade.

Apesar de sua conclusão no início da década de 1990, a série tem sido transmitida continuamente em vários países desde então. Em 2011, tinha-se conhecimento de vinte países que ainda o transmitiam como parte de sua programação regular. Em 2006, foi estreada a sua versão em desenho animado, um programa baseado nesta série, cujo criador e produção são os mesmos. Nesta versão, Chiquinha não faz nenhuma aparição já que sua intérprete María Antonieta de las Nieves enfrentou Bolaños por direitos autorais.

Entre alguns produtos derivados do programa, incluem o livro El diario del Chavo del Ocho, o musical El Chavo animado – Show en vivo (estreado em 2010), um videogame para Wii lançado em 2012, assim como aplicativos para Facebook e dispositivos móveis da Apple. A cultura popular de El Chavo del Ocho continua com o status de ser um dos melhores programas de entretenimento, um dos mais reconhecidos e continua sendo uma das séries com mais sucesso na televisão latino-americana.

Crédito: Uol

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *