Celesc encerra os seis primeiros meses de 2021 com um EBITDA de R$ 548,4 milhões e um Lucro Líquido de R$ 299,3 milhões

2º Trimestre de 2021 (“2T21”): A Economia Catarinense já demonstra melhoras e o consumo de energia é um dos principais sinais.

O segundo trimestre de 2021 registrou um aumento de 3,1% em comparação com o segundo trimestre do ano anterior em relação ao número de consumidores. Com muita satisfação, encerramos o 2T21 com 3,179 milhões de unidades consumidoras em nossa área de concessão. Já o consumo de energia apresentou um aumento de 18,3% na comparação trimestral, sendo de 6.792 GWh no 2T21 ante ao consumo de 5.742 GWh. Esse excelente resultado é reflexo da recuperação da economia catarinense na comparação realizada entre trimestres. Destacamos que praticamente todas as classes de consumo apresentaram expressivas recuperações no tocante ao consumo de energia, tanto no mercado cativo quanto no mercado livre. No gráfico abaixo, ilustramos o comportamento de cada classe, com destaque para a indústria e para o comércio, que cresceram 23,6% e 16,3%, respectivamente.

IMAGEM 1 CELESC

Fonte: Celesc.

RESULTADOS FINANCEIROS

O Grupo Celesc encerrou o trimestre com uma Receita Operacional Líquida (ROL) de R$ 2,4 bilhões, com reflexo das operações de suas subsidiárias: Celesc Distribuição (“Celesc D”) e Celesc Geração (“Celesc G”), o que apresenta uma evolução de 22,3% ao segundo trimestre de 2020. Já com relação aos seus custos e despesas, o Grupo teve um aumento de 21,3% na comparação do período, ocasionada principalmente pelo custo da energia comprada e do serviço de terceiros, sendo este também reflexo da retomada econômica, com o retorno de algumas atividades. Destacamos, por outro lado, o controle nos gastos gerenciáveis, demonstrando o compromisso da gestão com o cenário ainda desafiador do período: as despesas gerenciáveis apresentaram uma redução de 27,5% na comparação trimestral.

O EBITDA do Grupo fechou o trimestre em R$ 190,3 milhões, com crescimento de 29,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro líquido do 2T21 foi de R$ 100,2 milhões, 65,0% maior do que o do trimestre do ano anterior.

Com relação ao acumulado dos seis meses de 2021, temos um EBITDA de R$ 548,4 milhões e um lucro líquido de R$ 299,3 milhões, o que representa um aumento de 26,5% e 46,2%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2020.

Outro importante destaque no trimestre foi o alongamento da dívida da Celesc, que passa a ter somente 19,0% no curto prazo e, o restante, no longo prazo, demonstrando melhoria da qualidade financeira de seu passivo. Além disso, o grau de alavancagem da Companhia continua em patamares baixos.

RESUMO DOS PRINCIPAIS FATORES

Resume-se que o Grupo Celesc obteve uma maior quantidade de energia faturada, com elevação principalmente de seu fornecimento e de seu suprimento de energia elétrica, além de ter um resultado expressivo na energia de curto prazo. Esses fatores ajudam a explicar o aumento de 22,3% da Receita Operacional Líquida na comparação trimestral.

Já com relação aos custos e despesas, nossa energia comprada aumentou 30,2%, em contrapartida, reduzimos a despesa de pessoal em 34,3%. Desse modo, os custos e despesas operacionais atingiram o valor de R$ 2,3 bilhões no período (aumento de 21,3% em comparação com o mesmo período do ano anterior).

Com isso, chegamos num EBITDA de R$ 190,3 milhões (elevação de 29,6% em relação ao 2T20) e, também, a um lucro líquido de R$ 100,2 milhões (aumento de 65,0% em relação ao 1T20).

DESTAQUES

(i) Presença da Celesc nas redes sociais com vídeos tutoriais sobre seus canais de atendimento, instruindo a população com a expansão da digitalização de seus serviços;

(ii) Ampliação do programa de privacidade da Celesc em aderência com a Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD;

(iii) A Celesc iniciou sua campanha acerca do uso consciente de energia no inverno: “Nesse Inverno, não se meta numa fria”;

(iv) Os investimentos da Celesc foram de R$ 157,4 milhões no 2T21 e R$ 310,5 milhões, quando consideramos os primeiros seis meses do ano de 2021, ambos os valores bem acima do que investimos nos mesmos períodos do ano anterior;

(v) As ações da Companhia (CLSC4) na bolsa apresentaram variação positiva de 17,32% no segundo trimestre e de 34,89% nos últimos 12 meses.

DOS INVESTIMENTOS

Conforme já mencionado, os investimentos totais do Grupo Celesc, no 2T21, foi de R$ 157,4 milhões, sendo R$ 152,0 milhões na Celesc Distribuição e R$ 5,4 milhões na Celesc Geração.

Com relação à Celesc Distribuição, os investimentos foram assim alocados:

  • Redes de Distribuição e Telecomunicação;
  • Linhas de Distribuição e Subestações;
  • Comercialização e Medição;
  • Outros Investimentos.

Dentre os quais, ressaltamos:

INVESTIMENTOS 

CELESC DISTRIBUIÇÃO

A Celesc vem investindo em novas subestações e ampliações em todo o estado, dentre estes investimentos podemos elencar a SE Itapema-Meia Praia, SE Capivari de Baixo, SE Joinville-Boa Vista e SE Barra Velha, o que dá sequência na ampliação dos cerca de 930 MVA de capacidade implementados e em execução desde início de 2019.

Em julho/21, foi inaugurada a Subestação Chapecó Santo Antônio, a estrutura conta com uma Linha de Distribuição de 138 kV e capacidade instalada de 40 MVA. Neste empreendimento foram investidos R$ 12,6 milhões, sendo R$ 7,8 milhões na subestação e R$ 4,8 milhões na linha de distribuição.

Também para a garantia da qualidade no fornecimento de energia elétrica e diminuição do tempo de interrupção foram instalados religadores, monofásicos e trifásicos, nas redes de distribuição, ampliando em cerca de 130% a automação das redes com reconfiguração automática com cerca de novos 2.600 religadores.

Destaque também para o Programa Celesc Rural, com instalação de cerca de 3.000 km de redes protegidas monofásicas e trifásicas, que está em operação por todo o estado, e tem como previsão o atendimento de cerca de 233 mil propriedades rurais, ou 47% dos consumidores de áreas rurais atendidos pela Celesc até final de 2021.

Em relação a expansão da infraestrutura de corredores elétricos, a Companhia vem atuando na Implantação de um dos maiores corredores elétricos do País, com a instalação de 23 eletropostos em SC, sendo 85 % dos postos já em operação.

Na cidade de Araranguá, a Celesc iniciou o projeto de instalação dos Medidores Inteligentes, com investimento aproximado de R$ 23 milhões. O inovador projeto-piloto está substituindo medidores de energia convencionais por equipamentos inteligentes que utilizam sensores eletrônicos que informam ocorrências na rede elétrica, como falta de luz, em tempo real, agilizando a recuperação do sistema. Os novos aparelhos também possibilitam a coleta de dados, o gerenciamento de recursos e de ativos de forma eficaz e sustentável. A partir dos resultados obtidos em Araranguá, a intenção é ampliar o conceito a outros municípios catarinenses.

Com esses investimentos, a Celesc garante a infraestrutura adequada para atendimento ao seu mercado consumidor e a melhoria contínua dos indicadores de qualidade do serviço – DEC e FEC.

CELESC GERAÇÃO

Na Celesc Geração, destaque para a Ampliação da PCH Celso Ramos, com investimento de R$ 40 Milhões (valor total que já vem sendo realizado) para a ampliação da potência instalada da Usina (de 5,6 MW para 13,9 MW), para atendimento ao equivalente a 50 mil unidades consumidoras residenciais. No mesmo local, a efetuou a instalação da primeira Usina Solar da Empresa, que opera em 28 kWp.

INFORMAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS

A Celesc reforça seu compromisso com a agenda ESG – Environmental, social and Governance, conduzindo comitês de expansão de divulgação do tema internamente na Companhia e na divulgação de suas atuações nesse tema.

DESEMPENHO NO MERCADO DE CAPITAIS

Por ser uma Companhia de capital aberto, é importante destacar o desempenho da Companhia no mercado acionário, vejamos:

IMAGEM 2 CELESC

As ações Preferenciais da Companhia (CLSC4-PN) apresentaram desempenho positivo de 17,32% no segundo trimestre de 2021. No mesmo período, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, o Ibovespa, apresentou retorno positivo de 8,72% e, o Índice de Energia Elétrica (IEE), que mede o comportamento das principais ações do Setor Elétrico, apresentou redução de 0,56% no mesmo período.

A Companhia reforça o seu comprometimento com a sociedade, com seus acionistas e com seus empregados, ressaltando o engajamento de todos num novo ano, também desafiador, mas que se iniciou com muito trabalho e com alguns frutos positivos, reflexo da resiliência e de ações adotadas em prol do crescimento com qualidade e eficiência, retornando, com excelência, seus serviços aos catarinenses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *