Celesc com apoio da PM desliga energia elétrica de cerca de 50 casas na Vila Beija-Flor no bairro Espinheiros, em Itajaí 

Equipes da CELESC estiveram no local para fazer desligamentos dos chamados ‘gatos’ na ocupação da antiga área da Cooperleite ( Empresa Cooperativa Central Catarinense De Laticinios), no bairro Espinheiros, em Itajaí, que hoje é o retrato do déficit habitacional de cidade. 

Nesta tarde de terça-feira (23) a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) realizou o desligamento de dezenas de residências localizadas no terreno de ocupação considerado irregular na antiga Cooperleite ( Empresa Cooperativa Central Catarinense De Laticinios), que se encontra permanentemente fechada .  A ação contou com o apoio da Polícia Militar, que fez a segurança das equipes da concessionária. Segundo informações  foram realizados aproximadamente 50 desligamentos.

A cidade de Itajaí cresce em ritmo muito acelerado e a Prefeitura pouco faz questão de moradia. Isso fez com que muitas famílias procurassem, áreas como essa para se estabelecer.

” O Prefeito Volnei pouco faz por nós. Falta auxílio-moradia, e total falta de assistência e de cadastros que não dão em nada.” disse um dos moradores da área. 

O Artigo 13º da Declaração Universal dos Direitos Humanos, documento adotado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 10 de dezembro de 1948, diz que “toda pessoa tem o direito de livremente circular e escolher a sua residência no interior de um Estado”. Na Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, em seu Artigo 6º, consta que “São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados”.
Mesmo Itajaí sendo a segunda cidade com maior arrecadação do estado (CIDADE RICA), uma simples caminhada pela cidade, basta para ver pessoas pedindo esmola, morando embaixo de viadutos, nas ruas.

“O grande problema nosso aqui são será com os idosos, grávidas, mulheres, crianças, que vão ficar sem luz e água neste calor. Comida vai estragar e não tempos como comprar. Iremos organizar uma reunião e talvez iremos realizar algum protesto, Isso não pode ficar assim”. disse outro morador

A grande parte dos moradores se sentem enganados pelo atual prefeito e seus aliados da época de eleição.

” Morastoni era do PT antes de ir para MDB e defendia nossa luta e nossa bandeira por moradia. Por que mudou ? É preciso que o prefeito olhe um pouco para a rua. Ter onde morar é um direito nosso”, afirmou outro residente.

(Foto: O Janelão/Divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *