Camboriú continua aguardando decisão do prefeito para sonhar com a construção das estações de tratamento de água e esgoto na cidade

Dia Mundial da Água, comemorado nesta segunda-feira (22/3), serve de alerta sobre os impactos da ação humana sobre os rios, como o Rio Camboriú e a pouca iniciativa do atual prefeito Élcio R. Kunhen-MDB, que teima em não dar um ponta pé inicial no Saneamento básico da cidade.

“Combater a poluição, construir uma Estação de Tratamento de Água (ETA) e uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) , foi um desafio assumido e ainda não realizado pelo atual prefeito. É consenso entre especialistas, que chamam a atenção para o fato de que Camboriú também precisa ter acesso ao saneamento básico.”

O saneamento básico e a segurança hídrica do município de Camboriú, vem sendo assuntos prioritários elencados  com pleitos e anseios da classe empresarial da cidade em prol do desenvolvimento econômico e social. Enquanto nada acontece, reclamações de bocas de lombo entupidas, esgoto a céu aberto chovem em nossa redação e como consequência ocorre a desvalorização imobiliária na cidade ( valorização imobiliária pode chegar a 14% em cidades com sistema de tratamento de esgoto).

Os serviços de coleta e tratamento dos esgotos levam à melhoria da qualidade de vidas das pessoas, sobretudo na saúde das famílias, com redução da mortalidade infantil, aponta o Instituto Trata Brasil. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para cada real investido em saneamento, quatro reais são economizados em saúde pública.

Um documento foi entregue aos candidatos, as entidades pleiteiam a repactuação do contrato com a Águas de Camboriú, incluindo os serviços de rede e estação de tratamento de esgoto na cidade. Em outro documento, o Comitê de Bacias do Rio Camboriú também solicita aos candidatos a implantação imediata do sistema de coleta e tratamento de esgoto na cidade.

Em audiência pública realizada na prefeitura há quase um ano, moradores de Camboriú decidiram pela construção da rede produtora de água tratada (já prevista no contrato de concessão) e a incorporação dos investimentos no sistema de esgoto (não prevista em contrato). A concessionária, no entanto, segue aguardando um posicionamento sobre a cessão de área destinada no Plano Municipal de Saneamento para construção da Estação de Tratamento de Água (ETA) e a efetivação de um aditivo de contrato para incorporar a responsabilidade pela obra do esgoto.

VEJA TAMBÉM:
Coleta e tratamento de esgoto ajudam na melhoria da qualidade de vida
Águas de Camboriú retoma Campanha Zera Dívida com descontos de até 70%

Entidades deseja que a nova administração, junto com o setor empresarial e a sociedade civil, faça a implantação de um programa de desenvolvimento econômico local, para que a cidade seja pensada para os próximos 20 anos, garantindo a continuidade dos projetos de interesse da comunidade. Os pleitos foram reunidos e entregues aos candidatos, que analisaram o documento e assinaram um termo de compromisso assumindo a responsabilidade de que, se eleitos, irão dar a atenção necessária às ações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *