Camboriú conta com ações de combate as drogas

Muitas pessoas acreditam que o uso de entorpecente só afeta o usuário, no entanto, é preciso refletir além, pois essa prática impacta diretamente na vida de quem compra, de quem vende e principalmente das pessoas com quem ela convive. Neste sábado, dia 26 de junho é comemorado o Dia Internacional de Combate às Drogas e Camboriú tem motivos para comemorar, pois das secretarias de Desenvolvimento e Assistência Social, por meio do Núcleo de Prevenção ás Drogas e Pedofilia e Saúde, por meio do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e as Polícias Militar e Civil, veem desenvolvendo diversas ações preventivas e repreensivas de combate às drogas. De acordo o comandante da 1ª Companhia do 12º Batalhão de Polícia Militar, com sede em Camboriú, capitão Rafael Zancanaro, de janeiro a maio de 2021 foram aprendidos cerca de 200 quilos de entorpecentes no município.

“Desde minha assunção no comando da PM de Camboriú, procuramos intensificar o combate ao tráfico de drogas. Em 2020, por exemplo, apreendemos mais de 300 quilos de entorpecentes. Já agora, em 2021, estamos conseguindo superar a marca de 200 quilos, ou seja, nossas ações planejadas estão trazendo bons resultados, o que reflete diretamente no enfraquecimento do crime organizado e na redução dos indicadores de crimes violentos no município”, avalia o comandante ao destacar que a PM também trabalha a temática nas escolas do município, através do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD).

“Buscamos ensinar e alertar as crianças sobre os malefícios e as consequências do uso de substâncias que são ilegais, capazes de destruírem o usuário e tudo a sua volta”, conclui.

Segundo o coordenador do Núcleo, Manoel Mafra, o município desenvolve diversos trabalhos preventivos voltados para o combate às drogas. “O município desenvolve um forte trabalho de prevenção nas escolas, quer seja por meio dos projetos Proerd e Sou Estudante e Sou Cidadão, ou por meio de palestras que realizamos e que visam alertar sobre os malefícios das drogas, pois é importante que as crianças compreendam o risco do consumo dessas substâncias e também toda a problemática envolvida por trás da sua compra”, ressaltou Mafra ao frisar que o site do Núcleo também está à disposição da comunidade para mais informações sobre os trabalhos.

Manoel Mafra

Para os usuários que buscam ajuda para deixar a dependência química, o município dispõe de serviço de abordagem social e do CAPS, que tem parceria com centros terapêuticos e oferece apoio de profissionais no processo de recuperação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *