Caixa já começou libera saques da segunda parcela do auxílio emergencial 

Saques e transferências estão permitidos para beneficiários nascidos em janeiro. Calendário segue até 13 de junho, seguindo o mês de aniversário do cidadão.

Os trabalhadores informais, autônomos e microempreendedores individuais (MEIs) registrados no Cadastro Único ou que solicitaram o auxílio emergencial via site ou aplicativo passam a poder sacar e transferir o dinheiro da segunda parcela a partir deste sábado (30).

Até o momento, o recurso do benefício só estava disponível no aplicativo Caixa Tem, alvo de diversas reclamações entre usuários. A segunda parcela foi paga entre 20 e 26 de maio, mas não podia ser movimentada entre contas ou retirada em espécie.

Este primeiro dia de calendário de saques é reservado apenas para os trabalhadores SEM Bolsa Família nascidos no mês de janeiro.
Aqueles que têm Bolsa Família seguem uma agenda de pagamentos diferente, que começou na segunda-feira (18) e segue a ordem do último dígito do NIS.

Os nascidos em fevereiro poderão sacar a partir de segunda-feira. A ordem de saques segue o mês de aniversário dos beneficiários e vai até o dia 13 de junho.

Calendário da 2ª parcela (saque em dinheiro) – Poupança Social e demais públicos

Nascidos em: Data do recebimento: Número de beneficiados
Janeiro 30 de maio (sábado) 2,6 milhões
Fevereiro 1 de junho (segunda) 2,4 milhões
Março 2 de junho (terça) 2,7 milhões
Abril 3 de junho (quarta) 2,6 milhões
Maio 4 de junho (quinta) 2,7 milhões
Junho 5 de junho (sexta) 2,6 milhões
Julho 6 de junho (sábado) 2,6 milhões
Agosto 8 de junho (segunda) 2,6 milhões
Setembro 9 de junho (terça) 2,6 milhões
Outubro 10 de junho (quarta) 2,6 milhões
Novembro 12 de junho (sexta) 2,5 milhões
Dezembro 13 de junho (sábado) 2,5 milhões

Fonte: Ministério da Cidadania
Vale lembrar que só quem conseguiu a primeira parcela até 30 de abril terá a possibilidade de saque conforme o calendário acima.

Quem recebeu depois disso, na nova leva de aprovados, só deverá começar a receber a segunda parte do auxílio 30 dias depois da data de depósito da primeira parcela, que veio em atraso.

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Por Isabel Filgueiras e Júlia Lewgoy, Valor Investe — São Paulo

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *