Brasil joga com raça, mas acaba eliminado pela França na prorrogação

Apesar da dedicação brasileira, francesas aproveitam desorganização tática do time de Vadão e definem classificação às quartas da Copa com gol de bola aérea. 

Pelas oitavas de final da Copa do Mundo feminina o Brasil perde e está eliminado no primeiro mata-mata do torneio. A seleção, guiada por Marta e Cristiane, se superou dentro de campo e e conseguiu levar o confronto com as donas da casa e favoritas à conquista da competição para a prorrogação, mas caíram no segundo tempo do período extra com um gol marcado por Henry. Antes, Gauvin havia aberto o placar para a França e Thaísa empatado a partida, ambos os gols na segunda etapa. As francesas, agora, esperam quem vencer no confronto entre Estados Unidos x Espanha.

Em um primeiro tempo movimentado, as donas da casa começaram melhores e chegaram a balançar as redes aos 22 minutos, com Gauvin ganhando dividida da goleira Bárbara. Depois de rever o lance no VAR, entretanto, a árbitra observou um toque da bola no braço da atacante e anulou o gol da França. Depois do lance, o Brasil melhorou; encaixou a marcação na defesa e conseguiu oferecer perigo, apostando nas individualidades das principais referências, como Cristiane. A camisa 11 teve a melhor chance do jogo aos 43 minutos, quando invadiu a área pela esquerda e obrigou a goleira Bouhaddi a fazer boa defesa com o pé esquerdo.

Na segunda etapa, Gauvin abriu o placar aos sete minutos, empurrando de carrinho um cruzamento rasteiro que veio dos pés de Diani, pela direita. Mas as brasileiras mostraram imediatamente que o jogo não estava definido; dois minutos depois, Cristiane cabeceou cruzamento de Marta e acertou o travessão, assustando as donas da casa. Aos 17 da etapa final, Debinha foi lançada pela esquerda e tentou cruzar para Cristiane, mas a zaga cortou. No rebote, Thaísa chegou batendo com a canhota, no canto de Bouhaddi. A auxiliar havia marcado impedimento de Debinha, mas o VAR corrigiu a marcação. O 1 a 1 levou a partida das oitavas para a prorrogação, onde a vaga foi definida. No último minuto do primeiro tempo, Debinha recebeu de Geyse e, na cara de Bouhaddi, conseguiu tocar por baixo da goleira, mas viu a zagueira Bathy tirar o gol brasileiro em cima da linha. O castigo veio no minuto inicial do segundo tempo, com Majri batendo falta pela direita e Henry, livre na pequena área, só escorando para o gol e decretando o 2 a 1.

Extenuadas durante a prorrogação, as brasileiras não chegaram perto de ameaçar o gol adversário atrás do empate. Um time desorganizado, com Marta longe do gol, perdeu Cristiane lesionada no tempo extra e acabou caindo frente a uma equipe melhor e mais bem preparada. Em sua segunda Copa do Mundo, o treinador Vadão a sua segunda eliminação nas oitavas de final; em 2015, para a Austrália e, agora, para a França.

Créditos: El País

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *