Bosque da Memória de Camboriú será lançado neste sábado em homenagem às vítimas da Covid 19

Projeto tem o apoio da concessionária Águas de Camboriú, que doará as placas do bosque e individuais de cada homenageado.

Árvores nativas de diferentes espécies vão formar um espaço de lembranças e homenagens às vítimas da Covid 19 em Camboriú. O plantio de ipê-branco, ipê-amarelo, canafístula, jacarandá-mimoso e manacá-da-serra darão origem ao Bosque da Memória, que será lançado em um ato simbólico neste sábado, 5 de junho. O projeto tem o apoio da concessionária Águas de Camboriú, que doará as placas do bosque e as individuais de cada homenageado, além de pétalas de flores.

As famílias de vítimas da Covid 19 plantarão uma árvore para cada parente que partiu. Sob a coordenação da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fucam), o lançamento do Bosque da Memória será na Rua Tarci Antônio dos Santos, no Centro, e também marcará o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho.

“A pandemia trouxe uma realidade diferente e muitas famílias não tiveram a oportunidade de prestar as últimas homenagens aos seus entes queridos. Este apoio ao Bosque da Memória é uma forma de ajudar as pessoas a passarem pelo difícil período do luto”, observa a presidente da Águas de Camboriú, Reginalva Mureb.

A campanha nacional Bosques da Memória é realizada em conjunto ao Pacto pela Restauração da Mata Atlântica. Durante o ato simbólico serão cumpridas todas as normas de segurança em saúde, com distanciamento social e com a distribuição de máscaras aos participantes. Para fazer parte, os representantes das famílias das vítimas da Covid 19 podem entrar em contato pelo WhatsApp (47) 3365-2311.

“Sabemos que nada pode diminuir a dor da perda de um ente querido, no entanto, nosso objetivo é acolher as famílias nesse momento de dor e também sensibilizar, de modo com que as pessoas em geral reflitam, sobre a importância dos cuidados necessários com o meio que nos cerca, pois compreendemos que a degradação ambiental pode sim contribuir na disseminação de vários tipos de vírus”, comenta o presidente da Fucam, Valmor Dalago.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *