Bolsonaro diz que Petrobras vai anunciar novo reajuste no combustível em 20 dias

Petrobras vai anunciar novo reajuste no combustível em 20 dias. Expectativa de que novo aumento seja anunciado no fim do mês de novembro. 

O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) disse, nesta segunda-feira (01), em entrevista coletiva concedida na Itália, após reunião do G20, que a Petrobras vai anunciar novo reajuste nos preços dos combustíveis nos próximos 20 dias.

 

Questionado sobre a greve de caminhoneiros, iniciada nesta segunda-feira em todo o país, o mandatário da República afirmou ter a informação extraoficial sobre o reajuste nos preços.

“Estou acompanhando, estamos acompanhando. Agora, uma notícia que dou para vocês, eu tenho pressa, a Petrobras já anuncia, eu sei extraoficialmente, novo reajuste daqui a uns 20 dias.”

 

 

 

“Isso não pode acontecer. A gente não aguenta, porque atrela… O preço do combustível está atrelado à inflação, você falou em inflação, você perde o poder aquisitivo, e a população não está com o salário preservado ao longo dos últimos anos. Os mais pobres sofrem”, assinalou o chefe do Executivo federal.

Bolsonaro visita nesta segunda-feira (01), o município de Anguillara Vêneta, no norte da Itália, onde nasceu seu bisavô paterno. Ao ser perguntado, em entrevista a jornalistas no local, se a prioridade no retorno ao Brasil seria o Auxílio Brasil, programa social que vai substituir o Bolsa Família, o titular do Palácio do Planalto respondeu que o foco será o preço do combustível.

“Esta semana vai ser um jogo pesado com a Petrobras, porque eu indico o presidente, quer dizer, tem que passar pelo conselho, não sou eu que indico, e tudo que de ruim acontece lá cai no meu colo. O que é de bom não cai nada em meu colo. O ideal — falei com o Paulo Guedes — é nós partirmos para privatizar a Petrobras. Isso é o ideal, no meu entender, que deve acontecer. Agora, isso aí não é colocar na prateleira e vender amanhã. Esse processo vai durar mais de ano”, sinalizou.

Disse ainda que conversou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para começar a tomar medidas no sentido de tirar a estatal “das garras do Estado”.

O chefe de Estado brasileiro ainda indicou que o “vilão do preço do combustível” no país é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e defendeu o congelamento dos impostos. No fim da semana passada, o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) — órgão composto por secretários de Fazenda dos estados e do Distrito Federal — aprovou o congelamento do valor do ICMS cobrado nas vendas de combustíveis por três meses. As informações são do Portal Metrópoles.

Por Canal Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *