‘Angústia, medo e insegurança’, agentes de saúde da UPA do Cordeiro relatam rotina e pedem ajuda

Ansiedade, angústia, cansaço por conta pandemia, são sentimentos que pulsam em larga escala entre os profissionais de Saúde de praticamente todas as cidades do Brasil, mas para os trabalhadores da saúde do UPA do bairro Cordeiros em Itajaí-SC, ainda é preciso lidar com o medo e a insegurança do local por conta da violência.

Inúmeras vezes funcionários do local de Saúde foram agredidos e ameaçados. Chamar a guarda e a PM é rotineiro.

Na noite deste último domingo (28) por volta das 22 horas, novamente um funcionário foi ameaçado e pessoal teve que chamar a PM.

Um drogado com várias passagens pela polícia agrediu com chutes e empurrões uma técnica de enfermagem. Os próprios técnicos de enfermagem tiveram que imobilizar o agressor até a chegada da PM e da Guarda municipal.

Imagem ilustrativa

NADA DE APOIO DA PREFEITURA

Funcionários da UPA do Cordeiros não aguentam mais tanto descaso da prefeitura Municipal de Itajaí.

“Ja foi levado até o prefeito e autoridades, vários boletins de ocorrência de agressão, furto e roubo e nada foi feito até agora.” Disse um dos funcionários

“Constantemente somos ameaçados de morte e até sofremos agressões por usuários de drogas, que chegam com bombeiros militantes e SAMU. Não temos segurança nenhuma nesses casos.” disse outro profissional de Saúde.

A prefeitura oferece serviço patrimonial (cuidam somente do patrimônio público e não a segurança dos seus funcionários).

ROUBO DE CARROS E MOTOS TAMBÉM SÃO FREQUENTES

Além das ameaças é agressões físicas os trabalhadores relatam que seguidos furtos de carros e motos, o que gera mais medo e insegurança para todos que trabalham e frequentam a UPA.

Já foi sugerido a Secretaria de Saúde do Município de Itajaí, uma troca de Guarnição da Guarda Municipal no local assim como exemplo do Hospital Ruth Cardoso e do PA da barra de Balneário Camboriú, mas os profissionais não obtiveram êxito na solicitação.

“Em virtude de não termos um CAPS 3 em Itajaí, há anos temos um aumento das demandas clínicas traumatologicas e psiquiátricas. Agora piorou desde que a UPA CIS ficou responsável somente pelos atendimentos covid, sendo todas as demais demandas direcionadas a UPA Cordeiros.” Disse uma enfermeira.

O aumento do stress durante a Pandemia gerou ainda mais animosidade por parte dos usuários com os trabalhadores da saúde, que por sua vez também já se encontram bastante fragilizados em função de todo esse quadro avassalador que temos presenciado.

“Infelizmente somos vítimas de um sistema de gestão falho e que pouco se importa com os servidores. Exemplo disso é que até a CAT reconhecendo a contaminação dos trabalhadores de saúde como doença ocupacional nos é negada pelo Município.”

Pelo jeito o prefeito Volnei Morastoni-MDB, tem muito ainda o que se explicar e fazerem em prol dos profissionais de saúde do município. Afinal o prefeito é médico e poderia dar uma atenção melhor para os profissionais de Saúde, principalmente nesse momento difícil que estamos passando.

REPORTAGEM O JANELÃO

Evitamos expor nomes para evitar represálias.

A prefeitura foi procurada estamos aguardando um resposta e uma solução para este grave situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *