Álvaro Dias em SANTA CATARINA – “JUNTOS VAMOS REFUNDAR A REPÚBLICA”

O Senador Álvaro Dias, pré-candidato à presidência da República, passou por Santa Catarina no dia 12 de julho. Esteve em Florianópolis, em evento realizado no Hotel Castelmar, ante lideranças políticas.

Ao discursar, Álvaro Dias exortou os catarinenses, usando episódios históricos do Estado, como a execução de catarinenses na Ilha de Anhatomirim, em 1894, a mando de Floriano Peixoto e comando de Moreira César, então interventor militar do Estado.

Lembrou Álvaro:
Não só em Canudos, no interior da Bahia, onde crianças, jovens e mulheres foram chacinadas pela violência e autoritarismo de quem assumia a poder em nome da República, e celebravam o divórcio com a sociedade, mas aqui também quando o Marechal Floriano Peixoto ao arrepio da Constituição assumiu o poder do país substituindo o Marechal Deodoro, sem realizar eleições como estabelecia a constituição e instalou a ditadura, ignorando a oposição e os federalistas.

Sobre perspectivas do país, disse Álvaro Dias:

“Olhando e sonhando!! Quando vejo homens superando divergências, ignorando eventuais divergências antigas ou novas, mais velhas ou mais recentes, e entendendo que é preciso buscar uma coesão em nosso país em nome do nosso futuro, nós recuperamos as nossas esperanças, sepultadas nos escombros das instituições públicas destruídas pela incompetência e pela corrupção nesse país.” 

Álvaro foi adiante com sua lembrança da saga catarinense:

Aqui na antiga Desterro, hoje Florianópolis, esse povo presenciou lances estarrecedores na consolidação da República,que nasceu com grave defeito de origem.  Rui Barbosa o chama de serpente, Jose do Patrocínio combatia e Dimas Barreto descreveu numa obra memorável  Os lances de autoritarismo e prepotência de Marechal Floriano Peixoto, e aqui na capital de Santa Catarina 185 revoltosos foram fuzilados impiedosamente de forma sumária, e com a derrota dos federalistas o então governador deste estado mudava o nome da sua capital e Desterro passou a ser Florianópolis em homenagem trágica ao responsável pelo massacre.

Paulo Rabello de Castro – PSC, será  o vice  na chapa de Álvaro Dias 

Essa é a republica que teve origem, nesses tempos de despotismos no nosso país, de violência e prepotência de ignorância, celebrando-se, repito, o divorcio entre as instituições públicas e relações com a sociedade. Mas essa República se corrigiu,hoje é República, mas parece um IMPÉRIO, a sensação que fica para a maioria dos brasileiros é que não se trata de República e que uma minoria tomou o poder do país e explora o esforço coletivo dos trabalhadores, empresários, de agricultores de jovens, das mulheres, para preservar os seus privilégios.

“Essa não é a República que queremos; a República que queremos tem uma ideia fundamental: todos devemos nos submeter à lei, todos devemos ser iguais perante a lei.”

Nós elaboramos as leis muitas vezesbem, mas muitas vezes elaboramos mal, mas muitas vezes as leis são ignoradas e outras vezes são interpretadas ao sabor das conveniências dos interesses pessoais. ainda no domingo (08-07) tivemos um exemplo de desrespeito a lei, um desembargador substituiu a toga pela fardado PT, e anarquizou a justiça brasileira, afrontou os tribunais superiores, desrespeitou os seus colegas de tribunal, na esperança de promover no pais a substituição do estado de direito pelo autoritarismo daqueles que imaginam estar acima da lei.

Não é de hoje que ouvimos uma frase que pode ser repedida. Tiradentes a pronunciou na Inconfidência Mineira: se todos nós quisermos, podemos fazer desse país uma grande nação.  Mais do que nunca a frase de Tiradentes deve ser repetida com muita ênfase. Nós estamos a olhar para frente, vendo nuvens carregadas e ameaçadoras, prenúncio de tempestade deve ser devastadora. E se as pessoas de bem, as pessoas lúcidas não entenderem que é preciso agora exercitar o protagonismo para influir, nós corremos o risco da repetição dessa tragédia que estamos vivendo.

Nós estamos vivendo num país extraordinário.  Ao percorrer o Brasil, nós nos encantamos com as belezas naturais fantásticas, nós nos impressionamos com as belezas, com as potencialidades econômicas e extraordinárias desse país, e não podemos nos conformar com esse perturbador contraste entre a fortuna, a fartura, a prosperidade com a pobreza, a miséria,o infortúnio de milhões de brasileiros. O que fizeram com o Brasil?Por que uma nação tão rica, pode abrigar mais de 52 milhões abaixo da linha da pobreza, 15 milhões vivem com menos deR$133,00 reais por mês, 100 milhões não tem acesso ao esgoto sanitário, 17 milhões se quer têm acesso a coleta de lixo e 35 milhões de brasileiros não têm acesso a água tratada e nós estamos falando da saúde pública que deveria ser a suprema lei.

No Brasil 50% dos brasileiros vivem com menos de um salário mínino; no nordeste 66 % dos nordestinos vivem com menos de um salário mínimo, mas esse é um país pródigo, ocorre que mal governado.


“Os brasileiros não fracassaram, os governantes fracassaram”

Quem deve pedir perdão ao povo brasileiro, são os governantes, eles fracassaram não souberam explorar com competência as potencialidades econômicasdesse país para transformá-las em benefícios a toda a população, oferecendo a oportunidade em exercitar com plenitude a cidadania.

A economia patina, é comprometida pelas ações governamentais de incompetência e pela corrupção, a saúde é um caos, milhares de seres humanos doentes abandonados em corredores de hospitais esperando pelo atendimento que não chega e muitas vezes chega antes a morte.

Na educação um retrocesso e com isso nós não alcançamos os índices de produtividade que nos permitam escapar da armadilha da renda média, de não alcançar o estagio de países desenvolvidos, onde a população vive com renda alta. Os investimentos são insuficientes, por que nosso modelo educacional não se transforma na força motora do desenvolvimento econômico, esse é um país mergulhado num oceano de dificuldades e é por isso que nós estamos em Santa Catarina fazendo esse apelo de coesão de unidade para a Refundação da República,que é a substituição desse sistema, sistema corrupto e uma fabrica de escândalos e corrupção, a matriz dos governos incompetentes.

Substituir esse sistema, com reformas de profundidades, obviamente com reforma da Constituição, reformas constitucionais que ofereçam os mecanismos adequados para as demais reformas, mas que recoloque o país nos trilhos do progresso e do desenvolvimento.

Eu não estou advogando a constituinte exclusiva e eu estou propondo que o povo brasileiro eleja um presidente com a coragem para promover mudanças, a começar pelas alterações constitucionais necessárias, porque o Brasil tem pressa.

“Esse é o ano que o Brasil precisa se reencontrar com a verdade, mudar o Brasil é promover reformas, essa é uma nação à espera de reformas, e todos nós sabemos de cor e salteado quais as reformas.”

AS REFORMAS

A reforma do estado que reduz as estruturas gastadoras e perdulárias, reduzindo as receitas correntes para recolocar no caixa produtivo recursos que atendamsetores com segurança pública, por exemplo, onde a violência cresce de forma avassaladora e surpreendente.Nós temos que chorar a morte em 10 anos de 324mil jovens de 14 a 25 anos que foram sepultados nesse país, assassinados nesse cenário de violência sem precedentes. Isso significa um número de mortes de jovens assassinados 7vezes maior, que as vidas perdidas durante 20 anos na guerra do Vietnã e nós não estávamos em guerra.

Mas agora nós estamos travando uma batalha, agora nós testamos em guerra, nós estamos em guerra contra a incompetência, contra a corrupção, contra a violência sim, contra o crime organizado, nós estamos em guerra para consolidar o estado de direito e democrático nesse país. Que a legalidade democrática seja uma realidade com a refundação da República.

Todas essas reformas, como oajuste fiscal, a reforma do estado, por que é evidente, quanto maior o estado, menos postos de saúde, menos hospitais, menos médicos, menos policiais nas ruas, menos trabalhadores empregados é por isso que afirmo, “menos estado e mais sociedade, melhorar o ambiente de negócio”. Paralelamente a essa reformado estado, sobretudo com a reforma tributária, reduzindo a carga tributária e reduzindo as despesas.Por que a redução da carga tributária não reduz receita e sim aumenta a receita. A roda da economia gira com mais força, arrecada mais e a sociedade produtiva paga menos. É valorizando quem produz e trabalha que se vai combater a pobreza; para derrotar apobreza o caminho é valorizar quem trabalha e produz. Valorizar o empreendedorismo, melhorando o ambiente de negócio se melhora o negócio com providências internas. Como essa reforma simplificadora com os tributos, sendo colocados mais narenda do que no consumo, o poder tributário progressivo, para valorizar e fazer a justiça contributiva e fiscal.Mas também desburocratizando é difícil pagar impostos é difícil importar, é difícil exportar, é difícil instalar uma empresa, nós precisamos facilitare estimular os investimentos, com segurança jurídica, regulação competente, pra que os investimentos hoje contidos voltem a explodir gerando emprego  salário, renda e receita pública, desenvolvimento por conseqüência.

E o combate implacável a corrupção, para melhora a imagem do país no exterior, readquirir a credibilidade, para garantir que os investimentos estrangeiros que foram expulsos daqui pela corrupção e pela incompetência, para que eles retornem ao nosso país alavancando o nosso progresso e o nosso desenvolvimento.

ENFIM são tantas as reformas, mas nós devemos sobre tudo, pensar na Reforma da cultura, na prática política,nós não podemos mais admitir o que ocorre hoje, o povo brasileiro não suporta mais ser enganado, iludido, veras autoridades preservando seus privilégios;nós temos que combater esses privilégios, nós temos que acabar com os privilégios das autoridades nos três poderes, para adquirimos autoridadee promovermos as mudanças necessárias para o futuro desse país.

Haverão de perguntar, como aprovar essas reformas, com essa classe política, com esse Congresso? Eu posso dizer aos catarinenses que é possível sim; se não fosse possível eu não estaria aqui, se eu não acreditasse na refundação da República não seria candidato, por que se eu não acreditar na refundação da Repúblicaeu não acredito no futuro do país. Por que com esse sistema corrupto, nós não vamos alcançar os índices de desenvolvimento econômico compatíveis com a nossa grandeza e crescimento de nosso povo.

Eu acredito, eu tenho fé, eu acredito sim, porque se há corrupção no congresso, e há -é por que do outro ladoda rua está instalado o corruptor na Presidência da República.

Certamente o povo elegendo um presidente com coragem para mudar com competência, pra propor as mudanças e com capacidade de comunicação, pra convencer os brasileiros que essas mudanças são necessárias e imprescindíveis ao futuro de todos, certamente com o apoio do povo terá o apoio do Congresso Nacional, que não remará contra a corrente da opinião pública brasileira.

Publicidade

Nós só mudaremos o Brasil se celebramos um pacto nacional de governabilidade, que seja suprapartidário, acabando com esse conluio partidário, desse chamado presidencialismo de coalisão que se tornou um presidencialismo promíscuo, alimentado peloapetite dos Chupins da República, que sempre correram à sombra do poder, para dele se beneficiar.

É por isso que hoje, quando o barco da nação afundou, alguns ratos pularam e vieram à superfície para dizer que são combatentes da corrupção do país. Mas antes estavam lá, na sombra do poder se beneficiando dasfalcatruas.

É preciso perguntar onde estavam quando o Brasil mais precisou deles? Quando o Brasil estava sendo assaltado?Perguntem a cada um dos candidatos à presidente da República, aos outros todos, e não terão como responder, porque hoje a modernidade nos permite buscar no youtube os pronunciamentos de todos os tempos.

Vejam lá se existe pronunciamento combatendo a corrupção nos governos do PT. Nós temos que fazer essa cobrança, para aquele que dizem que acabam com privilégios;não podemos deixar de perguntar.Mas acabou com seus próprios privilégios? Ou quer apenas combater os privilégios dos outros e manter os seus próprios privilégios.

“Nós Podemos, porque nós acabamos com nosso próprios privilégios, aposentadoria de ex-governador, auxilio moradia, etc, benefícios concedidos a autoridades que provocam grande indignação ao povo brasileiro.”

ENFIM, a Refundação da República é o restabelecimento da lei no país do estado de direitona sua integralidade a possibilidade do exercício da cidadania, por inteiro a substituição desse sistema corrupto para que a relação entre os poderes remetam a relação republicana e pra isso nós precisamos celebrar um pacto nacional de governabilidade e é preciso caminhar por caminhos difíceis,mas esses caminhos nos levarão ao futuro, é preciso viver a fé perdida nas estradas da decepção e já disse ressuscitar as esperanças que foram soterradas nos escombros das instituições públicas desprezadas pela incompetência e pela corrupção e sobre tudo com esse assalto aos cofres públicos dos país.

É preciso ter fé, é preciso tentar, vou lembrar aqui Raul Seixas “a canção não terminou”,cantava ele, e nós o parafraseamos dizendo:

“O Brasil não acabou; tenha fé na vida, tenha fé em Deus e tente outra vez, nós vamos tentar outra vez.! Obrigado SANTA CATARINA vamos juntos nessa caminhada!”. disse Álvaro dias

Por Edenilson Pozzobon MTB 0006388-SC

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *