Acusado de matar empresário desaparecido é procurado pela polícia Civil

A polícia Civil de Navegantes está atrás do acusado de matar o empresário Emerson dos Santos, 29 anos, no dia 13 de novembro, e ocultar o corpo dele em uma vala do município de Ilhota.

A justiça autorizou nesta quarta-feira a prisão temporária de Carlos Alberto dos Santos Monteiro, com quem Emerson foi se encontrar no dia que ele desapareceu.

A equipe do delegado Rodrigo Coronha foi até a casa de Carlos no bairro Meira Praia, mas ele não estava mais lá.

“A residência estava com indícios de que seus moradores teriam saído recentemente. O principal suspeito é o indivíduo que negociou a BMW X1. Já podemos considerá-lo foragido”, informou Coronha.

O motivo do assassinato foi uma dívida de R$ 200 mil que Carlos Alberto tinha com Emerson. O empresário emprestava dinheiro a juros e vinha cobrando o pagamento do empréstimo feito ao acusado.

O cara não pagou a dívida e teria dado fim a vida dele na sexta-feira, dia 13 de novembro, quando Emerson foi visto com vida pela última vez.

Carlos Alberto chegou a ser interrogado pela polícia Civil logo após o desaparecimento. Ele confirmou que teve um encontro com a vítima pra trocar a BMW X-1 de Emerson por uma X-5, mas que o negócio não teria dado certo e, segundo Carlos Alberto, Emerson se encontrou com uma terceira pessoa e depois disso não foi mais visto.

A historinha de Carlos Alberto não fechou com a investigação da polícia. O delegado pediu a prisão temporária dele à justiça. Só que somente nesta quarta-feira, a justiça autorizou o cumprimento da prisão e do mandado de busca apreensão na casa do acusado.
Carlos Alberto foi quem deixou a X-1 de Emerson em uma garagem de carros na Meia Praia. O carro já tinha sido apreendido pela polícia na semana passada. Ele já tem passagens por receptação no estado do Rio de Janeiro.

Agora é considerado foragido e quem tiver informações sobre o paradeiro dele pode avisar à PM no 190 ou a polícia Civil no 181.

Corpo jogado em vala

O corpo de Emerson foi encontrado na noite de segunda-feira em uma vala da rua Luiz Silvino da Cunha, no bairro Baú Baixo, perto da BR 470, em Ilhota.
O corpo já estava em avançado estado de decomposição. O delegado Coronha aguarda o laudo do IML para saber a causa da morte.

Via Diarinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *